Foto: assessoria
Foto: assessoria

Uma comitiva de empresários chineses foi recebida nesta quarta-feira (09.12) pelo governador em exercício Carlos Fávaro, no Palácio Paiaguás. Os empresários visitam o Estado para conhecer a produção e as condições que a soja é plantada na região. Sendo Mato Grosso o maior produtor de soja do Brasil, a visita é importante pois a China é o maior parceiro comercial de Mato grosso, representando 58% das relação comerciais.

Fávaro apresentou os números de Mato Grosso, frisando que os produtores mato-grossenses trabalham com práticas sociais e sustentáveis. Destacou também que Mato Grosso atinge altos índices de produção, mesmo o Estado possuindo uma infraestrutura logística defasada. O governador em exercício destacou que para mudar esse gargalo os investimentos da iniciativa privada são bem-vindos ao Estado.

“Estamos de portas abertas para receber investimentos de Chineses. Isso gera oportunidades tanto para os chineses, quando para os brasileiros e mato-grossenses. As dificuldades na infraestrutura e logística se tornam oportunidades. Os chineses sabem que com este investimento Mato Grosso ganha, mas também os chineses vão ganhar pois haverá mais competitividade, e isso significa preços mais viáveis para o consumo chinês”.

Leia também:  Dupla rouba malotes de dinheiro que pagariam fiscais de concurso em Cuiabá

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Seneri Paludo, explicou que para melhorar essa relação comercial e divulgar Mato Grosso, o governo do Estado quer abrir um escritório de representação na China.

“Não sabemos o local ainda, mas a intenção é que o escritório funcione na relação institucional do governo de Mato Grosso com o da China”. Seneri explicou que o escritório funcionará como um suporte para os empresários de Mato Grosso que tenham interesse em fazer contatos com os chineses, e vice-versa.

O chefe da delegação chinesa, Liu Denggao, disse estar satisfeito com a possibilidade de mato Grosso abrir um escritório na China. “Eu diria que o Brasil seja o país mais importante e termos comerciais. Me impressionou muito presenciar os impactos positivo que a soja tem tido em termos econômicos e sociais em Mato Grosso. Espero que o relacionamento comercial entre os nossos países seja cada dia mais importante, vemos o futuro com muito otimismo”.

Leia também:  Com probabilidades de chuvas, período exige cautela de motoristas nas rodovias

Fávaro reforçou que o crescimento que Mato Grosso na produção deve ocorrer de forma sustentável, sem desmatamento ilegal, com a integração lavoura-pecuária.”Este é um Estado em transformação, quer produzir cada vez mais, mas não abrimos mão de produzir com sustentabilidade. Há metas bastante impactantes que vamos desenvolver a partir de agora, que é o desmatamento ilegal zero até 2020, e a de manter 60% do nosso território completamente preservado”.

Durante a reunião Fávaro lembrou também da mensagem levada pelo governador Pedro Taques na Conferência do Clima (COP 21), em Paris.  “Construir, preservar e incluir”. Para o sucesso da estratégia, o Estado estima investimento total de R$ 39 bilhões, em 15 anos. Os recursos virão do Governo do Estado, Governo Federal, fundos de investimentos estrangeiros e da iniciativa privada.

Leia também:  Confira as orientações do Procon Estadual para matrículas e rematrículas

Comitiva

O grupo chinês chegou em Mato Grosso na terça-feira e nesta quarta deve seguir viagem para a cidade de Lucas do Rio Verde, na região Norte, para conhecer uma propriedade rural. Integram a comitiva representantes da indústria de óleo e farelo de soja, organizações não-governamentais, como a Solidariedad, a TNC e a WWF, instituto de estatística agrícola Polson e a Associação Chinesa de Soja, que vieram conhecer a agricultura do Estado pelo viés da sustentabilidade.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.