Em pronunciamento ocorrido nesta segunda-feira (14.12), o líder do PPS no Senado Federal, José Medeiros, cobrou ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, providências para evitar tragédias como a ocorrida há poucos dias na cidade de Juína, no Mato Grosso, onde dois jovens teriam sido assassinados por índios após um desentendimento sobre o pedágio “ilegal” cobrado na área da etnia Enawenê-nawê.

José Medeiros também fez duras críticas à atuação da Fundação Nacional do Índio (Funai) e, após comentar que a população da cidade está revoltada, o senador disse temer que a repetição de casos como esse acabe por gerar um conflito maior entre indígenas e não indígenas e até mesmo a invasão de áreas indígenas.

Leia também:  Pátio deve chamar Celson para ser interlocutor com a Câmara

O senador contou que há anos algumas etnias indígenas começaram a cobrar pedágio dos motoristas e que num trecho de 50 quilômetros da BR-070, por exemplo, os índios cobram pedágio em 14 pontos da rodovia. Para o senador, esse tipo de pedágio é inaceitável e precisa de uma solução.

Pedágio – “Espero que o Ministério da Justiça possa, através da Polícia Federal, fazer com que os responsáveis por esse crime sejam entregues às autoridades policiais e sejam punidos, até para que a população saiba diferenciar quem cometeu o crime do restante da comunidade indígena que há anos está ali, e nunca houve problema nenhum. Agora, a minha preocupação é que a praça de pedágio continua como se nada tivesse acontecido”, afirmou.

Leia também:  Comissão aprova direito de usuário de telefonia à informação antecipada sobre serviço

Durante o discurso, José Medeiros informou que já apresentou à Comissão de Direitos Humanos um requerimento propondo debate sobre esse episódio, sobre a atuação da Funai e sobre a necessidade de se garantir aos indígenas melhores condições de sobrevivência.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.