Quem saiu festejando de Pipeline, no Havaí, foi Adriano de Souza, o Mineirinho. Ele conquistou o segundo título brasileiro no Mundial de surfe. Mas não foi só ele quem comemorou. Mesmo derrotado e terminando apenas em quarto do mundo, Filipe Toledo pode ostentar o prêmio de atleta que mais ganhou dinheiro em 2015.

Com três títulos durante todo o ano – contra dois de Mineirinho -, ele foi o surfista que mais venceu e faturou US$ 397,5 mil (R$ 1,54 milhão) durante a temporada. Desse dinheiro, US$ 10,5 mil (R$ 40 mil) vieram em Pipeline.

Esse valor é mais do que Mineirinho conquistou durante o ano. Aliás, quando o assunto é lucro, Adriano de Souza teve outra disputa equilibrada com Mick Fanning. Ambos ganharam US$ 377 mil (R$ 1,46 milhão).

Leia também:  1º Campeonato de Futebol Amador está com inscrições abertas até segunda

Importante na disputa do título ao eliminar Fanning nas semifinais de Pipeline, Gabriel Medina, terceiro colocado do Mundial, também chegou na premiação dos “milhões” na temporada. Ele faturou US$ 335 mil (R$ 1,3 mil) em 2015.

Quando o assunto é carreira, Mineirinho ainda está à frente de Filipinho. Mais velho no circuito, Adriano de Souza já ganhou US$ 1,7 milhão (R$ 6,6 milhões) no principal torneio de surfe do mundo. Já Toledo faturou “apenas” US$ 978 mil (R$ 3,8 milhões). Medina tem lucro até agora de US$ 1,5 milhão (R$ 5,8 milhões).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.