O ano terminou deixando a clara impressão de que 2015 foi complicado para o mercado mundial de leite, bem como para o produtor mato-grossense. Depois de uma queda de preços considerável até dezembro do ano passado, este ano começou com preços cerca de 3% abaixo dos valores de 2014. As informações são do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

A questão mais crítica conforme o Instituto, é que a redução dos preços do leite ao produtor veio acompanhada por um efeito agravante: a subida dos preços dos grãos, principalmente do milho, cerca de 8%, e a soja com 5%, além disso o aumento nos custos com energia elétrica alcançou 87% este ano, o que onerou ainda mais a produção leiteira.

Leia também:  Horário de verão será reduzido em 2018

 Assim, é reforçado o cenário de oferta de leite menor este ano, tendo em vista que a margem do produtor reduziu bastante, desestimulando os investimentos na atividade leiteira.

Ao mesmo tempo, com os aumentos nos custos de produção da indústria e uma maior ociosidade dos laticínios, os preços no atacado apresentaram altas significativas em 2015, uma vez que as indústrias lácteas passaram por um ano de margem apertada trabalhando com uma menor produção.

Sendo assim, os economistas concluem que o ano de 2015 termina de forma insatisfatória para a cadeia leiteira.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.