A lesão no adutor da perna esquerda deve tirar Neymar da primeira partida do Mundial de Clubes, marcada para o dia 17 de dezembro. A informação é do pai do jogador, em entrevista à “Bate-Bola”, da ESPN. Sobre um possível retorno ao Santos no futuro, o pai do atacante não aparentou otimismo com a possibilidade e ainda se defendeu das acusações que recebeu nas últimas semanas. Ele explicou ainda sobre a situação com a Receita Federal.

“É uma lesão como qualquer outra, de grau 2. Deve tirar o Neymar de campo durante uma semana, pelo menos”, explicou. “Acho que ele não jogará o primeiro jogo do Mundial, mas na final estará em campo. O clube vai trabalhar para que ele possa se recuperar o mais rápido possível”.

Desde 2013, quando foi vendido para o Barcelona, Neymar e família têm se envolvido em polêmica com o Santos. O clube paulista diz ter sido prejudicado na negociação. O entrave faz com que a volta do ídolo ao time, em um futuro, fique em dúvida.

“É difícil falar nesse momento. Você voltaria? Não tem como voltar para o Santos. Você cria dano hoje e isso é perdoado amanhã? Não sei, é difícil. Não posso falar do sentimento que vou ter amanhã”, afirmou.

Leia também:  Inscrições abertas para estadual de tênis em Cuiabá

Em junho de 2015 a Justiça espanhola abriu processo para investigar a transferência do atacante para o Barcelona, em 2013. A ação não tem relação com a movida pelo fisco espanhol, é fruto de uma queixa-crime da DIS, que detinha direitos sobre o jogador. O processo foi aberto pela Audiência Nacional, em Madri.

Além de Neymar, Neymar Santos (pai do atleta), Josep Maria Bartomeu (atual presidente do Barcelona), Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro (presidente do Santos na época), Odílio Rodrigues (então vice-presidente do Santos na época da transação) e a empresa N&N (pertencente aos pais do jogador) estavam originalmente envolvidos na disputa. Agora, a eles se junta a mãe do atacante.

Eles são acusados de fraudar contratos firmados no acordo entre Santos e o clube catalão. Quando contratou Neymar, o Barcelona informou ter desembolsado 57,1 milhões de euros. Posteriormente, o clube catalão admitiu que o gasto foi maior: quase 100 milhões de euros. Desse total, mais 40 milhões de euros vieram para a empresa do pai de Neymar no Brasil, por conta dos direitos do jogador.

“Não tem nenhuma ação na Espanha contra minhas empresas e o Neymar. Tem contra o Barcelona e os dirigentes deles. O Santos está tentando buscar os direitos daquilo que eu não sei o que é”, afirmou o pai de Neymar. “A DIS é problema do Santos e o Santos é problema da DIS. Você pode fazer um BO contra quem quiser. Eles fizeram na Espanha e estão procurando os direitos deles. O direito deles é com o Santos. Se eles querem fazer essa aventura jurídica, que façam”.

Leia também:  União joga domingo diante do Sinop no Luthero Lopes

“Poxa, eu tinha o Neymar do tamanho que ele é, com 21 anos… eu fui bonzinho com o Santos. A gente deixou o Santos vender porque ele ia sair de graça depois de seis meses. Podia assinar com qualquer clube, tinha contrato gratuito. Ajudei o Santos com vários outros quesitos para que o Santos tivesse seus quesitos aumentados, fizemos cláusulas, convênio, para que o Santos tivesse satisfeito financeiramente. Agora se o Santos não se acertou com a DIS, que eles se acertem com a DIS, problema deles. Tem uma série de confusões que ninguém quer entender. Todo mundo expôs nossa vida. É só ler os documentos”.

Recentemente, o pai de Neymar chegou a criticar a tributação espanhola e afirmou que o atacante não ficaria mais na Espanha caso as regras não fossem alteradas. “Em nenhum momento a gente falou que não aceita isso ou aquilo, tributação que é feita na Espanha. Pelo contrário, o Neymar é residente fiscal na Espanha e tributa lá. Ele é quase um espanhol, todos seus rendimentos são tributados lá. O que questionamos é a insegurança tributária de entendimento”.

Leia também:  Cuiabana sobe pódio do xadrez no nacional dos 'Jogos Escolares'

“Minha empresa é brasileira, então tenho que tributar aqui no Brasil. Nossa preocupação é que amanhã eles pensem que tudo que tributamos aqui, tenha que ser tributado também. Então vamos fazer uma consulta com a Receita para saber se nossa empresa é válida lá. Estamos totalmente tranquilo em relação a isso”, completou o pai de Neymar.

Renovação de contrato

Mesmo tendo vínculo até 2018, Neymar e Barcelona já iniciaram o processo de renovação de contrato, de acordo com o pai do Jogador. “O Barcelona não vai esperar encerrar o contrato um ou dois anos para renovar. Os clubes lá não arriscam como os daqui”.

Recentemente, a imprensa espanhola afirmou que o Real Madrid estaria disposto a vender uma de suas estrelas para conseguir contratar Neymar. Para o pai do atacante, no entanto, uma mudança para o maior rival do Barcelona está descartada. “Não posso levar o Neymar para o Real Madrid. Ele está fazendo história no Barcelona”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.