Reprodução
Reprodução

Uma crítica severa do papa Francisco ao espírito consumista que se apropriou das celebrações do Natal passou quase despercebida pela imprensa internacional. Durante um sermão que antecedeu sua viagem à África, o pontífice católico disse que as festas natalinas “soam falsas”.

O papa observou que o mundo escolheu “a guerra e o ódio”, e que por isso, toda a mobilização que existe na época de Natal, com decorações e reuniões familiares, não parece verdadeira.

“Estamos perto do Natal e haverá luzes, festas, árvores iluminadas, presépios […] mas é tudo falso. O mundo continua em guerra, fazendo guerras, não compreendeu o caminho da paz”, lamentou o papa, segundo informações da Rádio Vaticana.

Emocionado, Francisco fez um apelo para que as pessoas se coloquem no lugar umas das outras: “Existem hoje guerras em toda a parte e ódio […] E o que resta? Ruínas, milhares de crianças sem educação, tantos mortos inocentes […] Devemos pedir a graça de chorar por este mundo, que não reconhece o caminho para a paz. Chorar por aqueles que vivem para a guerra e ainda têm o cinismo de negar isso”, afirmou.

Leia também:  Rebelião em presídio deixa dezenas de feridos e mortos no México

Segundo o papa, “Jesus chora” com a atual situação de guerras no mundo atual. Em outros discursos, Francisco já havia comparado o cenário de perseguição religiosa e o revide ocidental a uma espécie de “guerra mundial fragmentada”.

Na conclusão de seu sermão, foi enfático ao afirmar que os que preferem “riquezas” ao ser humano, e “os que fazem as guerras são malditos, delinquentes”.

Enquanto Francisco sustenta sua mensagem de paz e atenção aos pobres, o Estado Islâmico vem jurando sua morte, anunciando que a cidade de Roma é um de seus próximos alvos, e que em breve, invadirá o Vaticano .

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.