Os deputados Gilmar Fabris (PSD) e Eduardo Botelho (PSB) pediram licença do cargo por quatro meses para tratar de assuntos particulares. O pedido foi aprovado ontem (18) durante sessão da Assembleia Legislativa.

Na tribuna, Fabris saiu em defesa do rodízio no Legislativo. “Ninguém está mais soberano que o outro. Partido não tem dono e tem que ter muito respeito. Minha licença contempla companheiros que ajudaram na eleição proporcional”, disse.

No lugar de Fabris, após o recesso, ficará o ex-prefeito de Acorizal, Meraldo Sá (PSD), e na vaga deixada por Botelho ficará o ex-reitor da Unemat (Universidade Estadual de Mato Grosso), Adriano Silva (PP).

A partir de 2016, outros deputados também devem sair de licença, principalmente por se tratar de um ano de eleições municipais.

Leia também:  Ganhando 'presentes'
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.