Foto: Secom-MT
Foto: Secom-MT

Independente de ser casa ou apartamento, o mosquito Aedes aegypti pode encontrar um recipiente com água parada para depositar os ovos e se reproduzir. Por isso, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) orienta que, antes de viajar de férias, é muito importante verificar todos os pontos que possam acumular água na residência e eliminar os possíveis criadouros.

Os últimos números reforçam a necessidade dos cuidados. Entre 1º de janeiro e 05 de dezembro deste ano foram registrados 26.636 casos de dengue no estado, segundo o Boletim Epidemiológico da Dengue, Chikungunya e Zika emitido pela SES. Em comparação com 2014, quando foram notificados 11.192 casos no mesmo período, houve um aumento de 138,01%.

Leia também:  Professores da UFMT protestam contra lei trabalhista e fazem paralisação

A coordenadora de vigilância epidemiológica, Flavia Guimarães Dias, explica que o ciclo de reprodução do mosquito, do ovo à forma adulta, pode levar de 5 a 10 dias. “Por isso, mesmo em uma viagem curta, é preciso estar atento. Um balde esquecido no quintal ou um pratinho de planta na varanda, após uma chuva, podem facilmente se tornar um foco do mosquito e afetar toda a vizinhança”, alerta Flávia.

De acordo o boletim, 84 cidades apresentaram alta incidência de dengue, com números superiores a 300 casos por 100 mil habitantes. No estado, a incidência registrada é de 826 casos por 100 mil habitantes. Sinop continua como o município com maior número de notificações, com 3.716 casos. Várzea Grande e Rondonópolis também registraram números expressivos, com 2168 e 1.987 casos, respectivamente. Na Capital, 2.970 casos já foram notificados.

Leia também:  Seduc apresenta proposta para a realização dos jogos regionais estudantis

Seis óbitos por dengue foram confirmados nos municípios de Cuiabá, Matupá, Sapezal, Sorriso, Rondonópolis e Juína. Quatro mortes ainda seguem em processo de investigação, aguardando o resultado do laboratório.

Tendo em vista a situação de risco para epidemia, a SES recomenda às secretarias municipais de Saúde que mantenham a rede atenta para o diagnóstico precoce da doença e o manejo correto para que os óbitos sejam evitados. Além disso, estão sendo realizadas atividades de vistoria, orientação e prevenção, principalmente nos municípios silenciosos e de maior incidência.

Chikungunya

Quatro casos confirmados, sendo três importados e um autóctone do estado. Foram cadastradas 574 solicitações de exames, destes 267 estão sob análise, aguardando resultado.

Leia também:  O fluxo de veículo na BR-163 terá aumento de 32% no feriado

Zika

Ao todo, 1159 amostras biológicas foram encaminhadas ao MT Laboratório para diagnóstico diferencial. Destas 673 se encontram sob análise, 218 exames não realizados ou descartados por ausência de critérios clínicos epidemiológicos ou por estarem fora do prazo de coleta ideal e 39 exames foram liberados, sendo nove positivos: dois de Rondonópolis, um de Tesouro, quatro de Cuiabá e dois de Várzea Grande.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.