Foto: Ascom
Governador atribuiu a nota de 6,6 ao 1º ano de mandato – Foto: Ascom

O governador Pedro Taques (PSDB) atribuiu a nota de 6,6 ao 1º ano de mandato à frente da administração estadual. Neste período, Taques conseguiu cumprir quatro das 23 promessas feitas durante a campanha. Outros três compromissos firmados pelo chefe do executivo foram cumpridos em partes. Mas 16 promessas feitas durante a campanha, em entrevistas e debates, continuam em espera.

Confira quais foram as promessas firmadas pelo atual gestor.

CUMPRIU

  1. Administração: Reduzir os cargos de nomeação política – De acordo com a promessa, a redução seria de pelo menos 20%. No 1º ano do mandato, o Governo do Estado reduzir 25,9% dos cargos comissionados, ou seja, 1.057.
  2. Educação: Construção, ampliação e melhoria da infraestrutura das unidades educacionais em parceria com o governo federal – Durante a gestão de Taques, foram entregues sete novas escolas. Já 13 unidades passaram por reforma geral e seis ganharam ampliação nas salas de aula. Além disto, 65 escolas receberam recursos emergenciais para reformas parciais. Além disso, sete novas escolas foram entregues.
  3. Segurança Pública: Reestruturar o sistema prisional do Estado e expandir as vagas do Sistema Prisional – Em Mato Grosso, há mais de 10 mil presos e apenas 6.429 vagas. Em 2015, foram criadas mais de 150 vagas com a inauguração do Centro de Detenção Provisória em Juína. Segundo a previsão, da Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), é abrir mais 2 mil vagas em 2016.
  4. Transparência: Divulgar de forma detalhada e clara as metodologias e dados utilizados para o cálculo da receita estimada no orçamento – É possível encontrar a metodologia no site da Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan/MT). Ela consta da Lei Orçamentária Anual (LOA).
Leia também:  Senado analisa nesta terça projeto que regulamenta serviços como o Uber

Promessas cumpridas em partes

  1. Concluir as obras da Copa do Mundo – Ainda faltam ser entregues 17 projetos, mas três obras já foram finalizadas: viaduto da Sefaz, duplicação da Rodovia Mário Andreazza e duplicação da Estrada da Guarita.
  2. Aumentar a oferta de vagas para uma cobertura integral da população-alvo – Houve aumento no número ampliado, contudo a cobertura ainda não é total.
  3. Concurso para aumentar efetivo dos policiais – A promessa do governador era realizar concurso a cada ano, contudo em 2015 não ocorreu. Contudo foram convocados os aprovados e classificados do concurso feito em 2014. Um total de 1.340 profissionais que estão no curso de formação.

Demais promessas:

  1. Criação de um portal de compras estadual (sem previsão de lançamento);
  2. Implantar programa de Avaliação Institucional Estadual Índice de Desenvolvimento da Educação em MT (o programa ainda não foi implantado, a previsão que ocorra na 2ª semana do ano letivo.);
  3. Construção do Congódromo em Vila Bela da Santíssima Trindade (a obra não teve início, aguarda que seja feito o processo de licitação);
  4. Criação de mais centros socioeducativos (Ainda não foram criados os novos centros, obra em Varzea Grande já foi iniciada, previsão do 2º trimestre de 2016, seis novas unidades sejam construídas no interior);
  5. Construir em Mato Grosso quatro centros de formação de atletas regionalmente distribuídos no interior do estado, atendendo aos diferentes polos regionais. (Os municípios que receberão os centros ainda estão sendo definidos);
  6.  Criar programas voltados à requalificação de imóveis deteriorados (promessa ainda não cumprida).
  7. Adotar cadastro único e atualizado de candidatos e beneficiários de programas habitacionais (O CadÚnico está em processo de atualização, a previsão que o sistema passe por avaliação no 1ª semestre do próximo ano);
  8. Pavimentar as rodovias estaduais cuja situação atual constitua entrave ao escoamento da produção e circulação em geral (A promessa refere-se a MT-343, que liga Tangará da Serra a Cáceres – obras já iniciaram – e outra é a MT-170, entre Tangará da Serra e Salto do Céu, que ainda aguarda o início dos trabalhos);
  9.  Implantar programa de pesquisa do estoque pesqueiro do Pantanal Mato-grossense, em parceria com a EMBRAPA Pantanal (ainda não implantado);
  10. Retomar os levantamentos geológicos e geofísicos, paralisados desde 2010 (ainda não foi retomado o convênio com a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais);
  11. Elaborar e implementar o Plano de Mobilidade Metropolitana (em processo de elaboração);
  12. Construção de hospitais regionais em Barra do Garças e Porto Alegre do Norte (o projeto para Porto Alegre do Norte já existe, porém, as obras ainda não iniciaram. Em Barra do Garças não há previsão para a construção do hospital).
  13.  Construção de um hospital em Cuiabá (obra não cumprida, o governo entendeu que não seria possível concluir as obras do Hospital Central e a construção de um novo hospital).
  14. Ativar a delegacia de fronteira em Porto Esperidião (ainda não foi criada e sem previsão).
  15. Construir a arena da Cavalhada em Poconé (A arena ainda não foi construída, o projeto já foi elaborado e aguarda licitação).
  16.  Reduzir os índices de evasão escolar em Mato Grosso.
Leia também:  Base de Pátio se rebela, deixa reunião e gera protestos

 Com informações do G1.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.