Foto: reprodução
Foto: reprodução

Aposto que, muita gente ao ver o título do texto de hoje, já pensou em compartilhar, no facebook, instagram, twitter, whatsapp e todas as outras redes sociais possíveis.

Hoje em dia é assim, ao vermos uma notícia que nos agrada, não importa a fonte, o local que foi publicado e nem mesmo se é verdade ou não, o lance é compartilhar com o máximo de amigos possíveis.

É por isso que a internet, está se tornando esta terra sem lei, e do mesmo modo que ‘endeusamos’ o ex-Ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa (que se aposentou antes do tempo, sabe se lá por quais motivos), podemos em poucos minutos acabar com a índole de um cidadão que levou uma vida inteira para construir uma carreira correta e honesta.

São tantas as mentiras compartilhadas, que às vezes chega até mesmo ser engraçado. É a mega sena que foi fraudada, a cobra de sete cabeças que foi encontrada, os cliques para ajudar as crianças na África e por aí vai. Mas como nosso blog é de Política e Direito, vou me limitar a trazer dois casos que foram muito compartilhados nos últimos tempos.

Leia também:  Propaganda fora de época? | Política Legal

O primeiro, é um texto que circulou pela internet e recebeu milhares de compartilhamentos:

AGORA VAI…BRASIL

Olha só essa situação:

Digamos que a Dilma pegue a mala e vaza no beco….

O Temer está sendo investigado e pode nem assumir.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, assumiria se não estivesse sendo acusado de improbidade.

O Presidente do Senado seria o próximo, mas também está sendo investigado pelo Lava Jato.

Quem assume é o Presidente do Supremo, que lançará novas eleições.

Nesse intervalo, seu vice será o Deputado Federal mais votado.

Já pensou: Tiririca no Planalto!!!

Mas será que o Tiririca assumiria mesmo a Presidência?

Não, os artigos 79 e 81 da Constituição Federal, são claros ao explicar a linha sucessória: Presidente, Vice Presidente, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado Federal e por último Presidente do Supremo Tribunal Federal.

Então, não há a menor chance do Tiririca assumir. Vários são os motivos: 1º porque não há nada que impeça o Vice Presidente de assumir; segundo porque, somente o fato dos Presidentes da Câmara e do Senado estarem sendo investigados, não lhe retiram o direito de exercerem as suas funções; terceiro e o mais engraçado, é que o Tiririca nem foi o Deputado Federal mais votado nas eleições de 2014, ele ficou em 2º lugar, pois o mais votado foi o Deputado Celso Russomano.

Leia também:  Como será o amanhã? | Política Legal

Então, por favor, parem de compartilhar esta notícia, pois ela é mentirosa.

Outro texto que também tem recebido várias curtidas, compartilhamentos e comentários é um sobre a Presidente Dilma.

Logo após o rompimento da barragem de Mariana, a Presidente por meio do Decreto 8.572/2015, trouxe a seguinte disposição:

“Art. 2º…

…Parágrafo único. Para fins do disposto no inciso XVI do caput do art. 20 da Lei nº 8.036, de 11 de maio de 1990, considera-se também como natural o desastre decorrente do rompimento ou colapso de barragens que ocasione movimento de massa, com danos a unidades residenciais.” (NR)

E foi aí que gerou a grande celeuma. Para quem lê pela 1ª vez, tem-se a impressão que, o texto do decreto visava transformar o rompimento de barragem em desastre natural, e estaria, em tese, beneficiando a empresa responsável pela grande tragédia.

Mas não é nada disso. Por incrível que pareça, pelo menos dessa vez, a Presidente Dilma, não agiu de má-fé.

A bem da verdade, o decreto citado acima, visava tão somente, alterar outro decreto já existente (Decreto n. 5.133/2004), que dispõe sobre os casos em que, pode ser liberado o Fundo de Garantia do trabalhador de forma imediata.

Leia também:  Como será o amanhã? | Política Legal

Em outras palavras, foi liberado aos trabalhadores da cidade de Mariana, a possibilidade de sacar seu FGTS, para que pudessem amenizar a situação precária em que estavam vivendo.

É importante explicar que, do ponto de vista jurídico, o fato do decreto considerar “rompimento de barragens, como sendo desastre natural”, não isenta em nada a empresa responsável, que certamente terá sua responsabilidade civil e penal avaliada nas esferas competentes.

Viu como, ocasionalmente, compartilhamos besteiras, sem nem mesmo saber se de fato é verdade.

Por isso, devemos a todo tempo ter cuidado, pois às vezes uma importante ferramenta que temos em nossas mãos (internet), se usada de forma errada, traz consequências fatais.

Especialmente no campo político, é de suma importância que sejam compartilhadas notícias, que tragam informações sobre aqueles que nos representam, mas é de igual relevância, que chequemos as fontes, para saber se de fato a informação é verídica.

Bom, é isso, um grande abraço e uma ótima semana.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.