Foto: reprodução
Foto: reprodução

Final de ano é sinônimo de muita festa. Tem formatura, amigo secreto, confraternização na empresa, feriados, viagens. Muita coisa para comprar: comidas, bebidas, roupas e presentes. No meio de tudo isso está aquela correria bem característica, pois não há lugar para estacionar, filas estão enormes, bancos lotados, restaurantes cheios, é uma loucura!

Compromissos e gastos além de comprometer o orçamento financeiro podem acabar com a tranquilidade da família. É preciso estar atento ao que realmente vai ser útil, pois na empolgação muitas vezes cometemos exageros desnecessários.

Este deveria ser um tempo de muita alegria, solidariedade e união, um tempo para investir nas relações, no perdão, na reflexão e no amor para com o próximo. Porém, nem sempre é assim… Algumas pessoas reagem mal ao final de ano, principalmente no Dia de Natal ficam tristes e se isolam.

O motivo pode ser a perda de uma pessoa querida, falta de emprego, doenças graves, familiares internados em hospitais, o que é perfeitamente compreensível. Porém, existem pessoas não tem um motivo como esses, elas apenas deprimem nesse período, e participar das festividades se torna uma tortura.

O cansaço, o exagero de comidas e bebidas alcóolicas são fatores que contribuem para um declínio do humor, tudo isso somado as frustrações do ano que passou podem deixá-las emocionalmente abaladas.

Não há como fugir de algumas situações, mas a solidariedade pode ser uma saída para evitar desperdícios, afastar a tristeza e fazer alguém feliz. Ajudar quem precisa e receber um sorriso ou um abraço de agradecimento é a maior recompensa, pois é espontâneo e sincero. Há sempre uma instituição promovendo ações no final de ano, escolha uma, e experimente um Natal diferente. Fazer o bem faz bem!

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.