o consumo sem recomendação pode gerar problemas de saúde - Foto: THYEGN/ISTOCK/THINKSTOCK
o consumo sem recomendação pode gerar problemas de saúde – Foto: Thyegn/istock/thinkstock

A arruda é uma planta aromática e pertence à família Rutaceae. Ela tem origem européia e um cheiro intenso, é considerada um herbácea, utilizada desde a antiguidade, muito conhecida também na medicina natural e para o preparo de sucos. Em algumas religiões de matriz africana, ela é muito utilizada, pois acreditam que tenha o poder de afastar mau-olhado, no entanto isso não é comprovado cientificamente.

Nutrientes
A arruda conta com boas quantidades de rutina, substância que aumenta a resistência dos vasos sanguíneos. Ela ainda facilita a absorção da vitamina C, nutriente que também está presente na arruda e que ajuda a melhorar a imunidade. O óleo essencial que contém undecanona, metilnonilcetona e metilheptilcetona também estão presentes na arruda e possuem propriedades calmantes.

A planta ainda conta com quercetina que tem propriedades analgésicas e psoraleno, que é empregado em casos de vitligo e psoríase. A alantoína, que é responsável pelo efeito cicatrizante, está presente na arruda.

Leia também:  No Dia da Gestante, conheça os exames obrigatórios no pré-natal

Benefícios em estudo da arruda
Boa contra varizes: A rutina presente na arruda é responsável por aumentar a resistência dos vasos sanguíneos, evitando rupturas. Por isso a planta é utilizada no tratamento contra varizes. Contudo, o uso da arruda deve ser tópico.

Diminui a ansiedade: A arruda possui o óleo essencial, que contém undecanona, metilnonilcetona e metilheptilcetona. Quando essas substâncias são aspiradas, elas possuem propriedades calmantes e diminuem a ansiedade.

Diminui dores: A arruda também é muito utilizada para aliviar dores de cabeça. Isto porque ela conta com o óleo essencial que contém undecanona, metilnonilcetona e metilheptilcetona, todas essas substâncias possuem propriedades calmantes ao serem aspiradas e aliviam as dores.

Quantidade recomendada
O consumo de cerca de 30 mg de arruda por dia não apresentou nenhum dano à saúde de pessoas saudáveis e que não estavam grávidas. Mais de 100 ml de óleo ou 120 gramas de folhas em um única dose pode causar problemas sérios de saúde.

Leia também:  Um tomate sem sementes está chegando

Como consumir
Não beba chás, sucos ou qualquer outro alimento com a arruda, pois em excesso há risco de vômitos, sonolência, convulsões e fortes hemorragias. O consumo da arruda só pode ser feito após a orientação médica ou de um nutricionista. Após essas orientações a planta costuma ser inalada quando está na forma de óleo ou é passada na pele na forma de pomada.

Efeitos colaterais
A arruda em contato com a pele e a exposição solar pode causar bolhas na pele. Isso foi observado em pessoas que coletam a arruda fresca e também em quem esfrega a arruda fresca na pele como um repelente de insetos. O óleo volátil da arruda é irritante, podendo resultar em danos renais e degeneração hepática se ingerido.

Leia também:  Como controlar as alergias respiratórias

Riscos do consumo em excesso
Ingerir mais de 100 ml de óleo de arruda ou aproximadamente 120 gramas de folhas da planta em 1 única dose podem causar uma dor gástrica violenta, vômito, e complicações sistémicas, incluindo a morte. A ingestão oral de 400 mg por kg administradas às cobaias animais foi relatada ser fatal, causando hemorragias das glândulas adrenais, do fígado, e do rim.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.