Poucos produtores de soja conseguiram iniciar a colheita no calendário normal em Mato Grosso (MT). Na maioria das propriedades ainda há preocupação com o tempo e com a necessidade de replantio. Esta é uma safra considerada atípica no estado, onde conforme o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Endrigo Dalcin, o veranico persistiu mais do que em outros anos.

O diretor técnico da Aprosoja, Nery Ribas explica que mesmo com a ocorrência de chuvas irregulares em todo MT no final de dezembro, as estiagem afetou algumas regiões como o Leste e Norte do estado.

“As precipitações não foram suficientes. Nos bolsões onde já havia perdas, não há mais recuperação, apenas em locais onde as plantas estavam em estádio vegetativo”, explica Nery.

Leia também:  Termo de Cooperação para implantar Núcleo de Mediação Escolar será assinado nesta segunda

Ribas acredita que haverá perdas nesta safra, mas ainda é cedo para estima-las. “O que observamos é que houve replantio. O agricultor precisa estar atento à sua lavoura e monitorar pragas e doenças”, frisa o diretor.

A safra de milho também deve ser impactada com o atraso na colheita da soja.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.