O detento Hélio Cândido Fernandes, 23 anos acusado de assassinar o comerciante Antônio Aparecido Garcia, de 42 anos durante um assalto em fevereiro de 2013, em Rondonópolis (MT) teve sua selfie tirada de dentro da cela onde se encontra preso na cadeia pública de Primavera do Leste (MT) (126 Km de Rondonópolis) divulgada nas redes sociais.

Imagem divulgada nas redes sociais - Foto: reprodução
Imagem divulgada nas redes sociais – Foto: reprodução

Hélio enviou a foto para a namorada e ela então postou a imagem em sua página na rede social, com a legenda “A liberdade vai cantar ‘mozão'”. Na imagem, ele exibe uma tatuagem com o nome da namorada no braço direito.

De acordo com o diretor da unidade de Primavera, Edilson Sodré, a imagem foi tirada no ano passado, em um período em que a detecção de metal era manual dificultando o controle da entrada dos aparelhos eletrônicos na cadeia.

Leia também:  Condutor perde o controle e morre em grave acidente na BR-364

“Na época não tínhamos equipamentos qualificados para fazer a vistoria, o que facilitava a entrada dos aparelhos celulares. Atualmente já temos detectores novos e qualificados para fazer a revista pessoal impedindo a entrada dos celulares. Essa imagem está rodando desde o ano passado, na época não tínhamos equipamentos para conter o fato”, explica o diretor, que diz já ter tomado as medidas que o caso requer, com uma vistoria na cela em que ele cumpre pena e recolhido o telefone celular.

HOMICÍDIO 

No dia do crime, o comerciante foi assassinado em frente ao próprio estabelecimento comercial no bairro Monte Líbano. Na época, o acusado confessou a autoria do crime e disse ter contado com o apoio de um adolescente de 16 anos para fugir.

Leia também:  Criminoso deita no chão de comércio após arrombar porta para furtar

As informações são de que o suspeito efetuou pelo menos três disparos contra a vítima, onde dois tiros atingiram a cabeça.

Em 2012, Hélio foi indiciado pelos crimes de tentativa de furto qualificado por arrombamento e autuado em flagrante roubo qualificado. O acusado esteve preso por quatro meses e depois de nove dias de solto adquiriu o revólver calibre 38, com o qual praticou o latrocínio contra Antônio.

LEIA TAMBÉM 

Polícia Militar prende segundo suspeito de latrocínio

Acusado de latrocínio de comerciante no Monte Líbano, está em liberdade

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.