Favorito desde o anúncio da lista inicial com 23 candidatos, Lionel Messi confirmou as expectativas e conquistou a Bola de Ouro da Fifa em 2015. Em cerimônia realizada em Zurique, na Suíça, nesta segunda-feira (11), o craque argentino conquistou o prêmio máximo individual do futebol pela quinta vez na carreira. As outras quatro premiações foram conquistadas de forma consecutiva, entre 2009 e 2012.

Além dos excelentes números, com média de quase um gol por partida, o que pesou para a escolha do argentino foi a quantidade de títulos conquistados. Em 2015, Messi ajudou a equipe catalã a levantar cinco das seis taças disputadas pelo Barcelona, principalmente na Liga dos Campeões.

Nas oitavas de finais do torneio continental, disputadas entre fevereiro e março, o argentino, apesar de ter passado em branco, foi um dos destaques do confronto contra o Manchester City, que terminou com duas vitórias culés: 2 a 1 e 1 a 0. Na segunda partida, Messi deu show, aplicando canetas em Vincent Kompany e Edin Dzeko. No clássico contra o Real Madrid, também não marcou gols, mas foi dele a assistência para Jérémy Mathieu abrir o placar e ajudar o Barça a vencer por 2 a 1.

Leia também:  União perde em casa e dá adeus ao sonho da Série C

Em maio, nas semifinais da Liga dos Campeões, Messi marcou dois gols e deu uma assistência para Neymar na vitória por 3 a 0 sobre o Bayern de Munique, no Camp Nou. Este jogo foi marcado também pelo golaço em que deixou Jérôme Boateng no chão. Também foi do camisa 10 o gol que garantiu a vitória sobre o Atlético de Madrid e o título do Campeonato Espanhol com uma rodada de antecipação. Na final da Copa do Rei, marcou seu gol antológico contra o Athletic Bilbao, quando driblou três defensores, entrou na área e chutou sem chances para o goleiro. O lance foi um dos três finalistas ao Prêmio Puskás, de gol mais bonito do ano.

Leia também:  União faz neste sábado primeiro jogo da final do sub-19

Na final da Liga dos Campeões, contra a Juventus, não marcou nenhum gol, mas foi um dos destaques da vitória por 3 a 1 no Estádio Olímpico de Berlim. Messi participou das jogadas do segundo e do terceiro gol, marcados por Luis Suárez e Neymar, respectivamente. O argentino foi o artilheiro da competição, empatado com Cristiano Ronaldo e com o colega brasileiro, com dez gols cada.

Já na temporada 2015-16, Messi começou marcando dois belos gols de falta na histórica vitória do Barcelona sobre o Sevilla por 5 a 4 na decisão da Supercopa da Uefa. No dia 28 de agosto, recebeu o prêmio de Melhor Jogador da Europa, ficando à frente de Cristiano Ronaldo e Luis Suárez.

Leia também:  Estreia de Pelé pela seleção brasileira completa 60 anos
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.