Penitenciaria da Mata Grande em Rondonópolis. Foto: Varlei Cordova / AGORAMT
Penitenciaria da Mata Grande em Rondonópolis. Foto: Varlei Cordova / AGORAMT

A penitenciária “Major Eldo Sá Corrêa”, conhecida como ‘Mata Grande’ em Rondonópolis passa atualmente por 14 obras direcionadas a construção de novos espaços e reformas de alas e salas administrativas, como: ala dos trabalhadores, academia, marcenaria, garagem, espaço visita, cobertura da escola e do corredor central. Ao todo a unidade recebeu mais de 30 ações de melhorias em 2015, contando os projetos e parcerias firmados.

Também foram construídos um novo campo de futebol, com vestuário e iluminação, e uma fábrica de costura. Teve ainda reparo de toda a parte elétrica e hidráulica das alas, além da pintura do prédio. O Cartório Penal e o parlatório (espaço destinado aos advogados) passaram por reformas, bem como o alojamento dos agentes, o refeitório, a revisória da unidade e as torres de vigilância, que receberam climatização.

Leia também:  Secretaria de Habitação realiza ações para retomar as obras do Celina Bezerra

A unidade abriga atualmente 1.247 recuperandos, sendo que 348 são provisórios (que aguardam julgamento). A capacidade da penitenciária é para 892 pessoas, resultando num déficit de 355 vagas. De acordo com o secretário adjunto de Administração Penitenciária, Luiz Fabrício Vieira Neto, a Sejudh trabalha para diminuir a população penitenciária com duas ações principais: as audiências de custódia e as tornozeleiras eletrônicas.

“Em unidades como a de Rondonópolis este serviço é reforçado por ações que possibilitem a educação e a profissionalização do detento. A reforma e construção de novos espaços para servidores e recuperandos impactam de forma positiva na vida de todos, assim como na realização de projetos de reinserção, todos promovidos em parceria com agentes importantes, como a Fundação Nova Chance”, completou Luiz Fabrício.

Leia também:  Crianças de Mato Grosso aprendem sobre DNA e Biotecnologia com peça de teatro gratuita

Na Mata Grande, a Fundação Nova Chance (Funac) foi responsável pela educação de 250 pessoas, matriculadas no Ensino Fundamental e Médio. Outros 50 foram assistidos por parcerias realizadas com a rede municipal de ensino. Parcerias formadas com o Corpo de Bombeiros, polícias Militar (PM) e Judiciária Civil (PJC), Polícia Ambiental, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e instituições do Sistema S (como Senai e Senac) também contribuíram para o bom desempenho conquistado pela administração da unidade.

“Em 2015 fizemos 76 procedimentos de revista, registramos sete eventos de tentativa de fuga e apenas duas bem-sucedidas”, destacou o diretor da penitenciária, Aílton Ferreira.

Segundo o gestor, a implantação do Procedimento Operacional Padrão (POP), que tem como finalidade criar condições práticas para que os servidores atendam as necessidades de vigilância, escoltas, contenção, custódia, dentre outros procedimentos, tem sido imprescindível para o desenvolvimento das funções intrínsecas ao trabalho dos agentes, além de auxiliar a gestão na realização dos eventos fundamentais para o processo de reinserção dos recuperandos.

Leia também:  Preço da carne de 1ª reduz e consumidor pode comemorar em Rondonópolis

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.