O Ministério Público Estadual (MPE) propôs quatro ações por improbidade administrativa contra a ex-primeira dama do Estado, Roseli Barbosa. A ação foi proposta nesta semana na Justiça de Mato Grosso.

Além da ex-primeira dama, também foram denunciadas outras 39 pessoas e empresas que, em caso de recebimento das denúncias, passarão a responder aos processos na esfera cível.

Todas as ações são relativas a fraudes em convênios e licitações investigados na Operação Arqueiro, que apura supostos desvios de dinheiro da Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Setas).

Segundo investigações do Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado(Gaeco), teriam sido identificados desvios nos cofres públicos da Setas por meio de esquemas fraudulentos ocorridos entre 2012 e 2013.

Leia também:  Vendaval também atinge estádio Luthero Lopes

Em uma das ações propostas pelo MPE aparecem como alvo o então assessor de Roseli, Rodrigo Marchi, o também ex-secretário da Setas, Jean Esteves de Campos, o empresário e delator do esquema, Paulo Cesar Lemes, a ex-secretária-adjunta da Setas, Vanessa Rossin Figueiredo, e o empresário Ricardo Mário Ceccarelli.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.