Condenado em 2013, a 22 anos e três meses de reclusão, pelo assassinato de Eliza Samudio, em 2010, o goleiro Bruno trocou os gramados pela cela da prisão. Há mais de três anos preso, o ex-arqueiro do Flamengo, que cumpre pena no Centro de Reintegração Social da Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (APAC), de Santa Luzia, em Minas Gerais, voltou a falar sobre sua carreira. O ex-jogador revelou, em entrevista à Rádio Itatiaia, estar decepcionado com alguns ex-companheiros rubro-negros. De acordo com o ex-camisa 1, quando foi necessário, ele defendeu algumas pessoas, que viriam a lhe virar as costas no momento em que precisou.

“Esperava ter recebido pelo menos uma carta, por exemplo de algum jogador do Flamengo, daquele grupo. Esperava uma carta por tudo que eu fiz entre nós jogadores. Eu tomei muita pancada defendendo muita gente, que hoje eu sei que não merecia. Eu comprei uma briga muito grande. Eu me envolvi em polêmicas porque eu era amigo. Mas eles não mereciam minha amizade”.

Leia também:  Cuiabá Arsenal fecha ano com confraternização neste sábado

Entretanto, se Bruno se decepcionou com ex-companheiros de Flamengo, o ex-goleiro falou sobre o apoio que recebeu de pessoas que não esperava, como o caso do também arqueiro, Fábio, que defende o Cruzeiro.

“Alguns que eu nem esperava vieram até mim. Eu te cito algumas pessoas que não vieram nem aqui na APAC, foram no sistema comum. Fiquei muito feliz. Vou te dar o exemplo do Fábio. É uma pessoa pública, esteve lá, me levando uma palavra de esperança; Eu acredito que as palavras que saíram da boca dele foram as palavras de Deus, que estava o usando como instrumento. Meu treinador de goleiro, o Robertinho, que é o treinador do Fábio, sentiu muito, foi um baque muito grande. Também esteve o senhor Tadeu, pai do Tardelli, pessoas que eu nem esperava. Gladstone e o Irineu (zagueiros), iniciamos juntos no Cruzeiro, foram estas pessoas e desde já gostaria de agradecê-los”.

Leia também:  Cuiabana sobe pódio do xadrez no nacional dos 'Jogos Escolares'

Mas, apesar do tempo longe do futebol, Bruno não acredita que sua carreira esteja encerrada. Segundo o ex-goleiro, seus planos são de retomar sua trajetória frente à meta.

“Espero voltar, não sei se vai ser daqui a um ano ou mais, mas vou atrás do meu objetivo. O meu objetivo, eu deixo bem claro, eu vou correr atrás, não vou acabar com minha carreira atrás das grades. Desde criança eu fui atrás disso. Eu passei minha juventude atrás deste objetivo. Eu sei que o pior está por vir, mas eu estou preparado”.

Bruno iniciou sua carreira no Atlético-MG e se transferiu para o Corinthians. Entretanto, o auge de sua carreira veio no Flamengo. Atuando pelo Rubro-Negro de 2006 a 2010, o ex-goleiro conquistou três títulos cariocas e um Campeonato Brasileiro.

Leia também:  1ª paraolimpíada 2017 acontece neste sábado
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.