Reuniao dos Moradores do Bairro Neuma de Moraes com a Caixa Economica.Foto:Varlei Cordova/AGORAMT
Reunião ocorreu na Câmara Municipal – Foto:Varlei Cordova/AGORAMT

Centenas de famílias ainda terão que esperar para receber as chaves das moradias do Residencial Dona Neuma, em Rondonópolis (MT). As obras que estão em atraso, há cerca de um ano e nove meses, ainda não tem prazo de conclusão, segundo a Caixa Econômica Federal (CEF). O assunto foi discutido na 1ª reunião oficial entre possíveis moradores e CEF realizada na manhã desta quarta-feira (20), na Câmara Municipal após a convocação do vereador Adonias Fernandes (PMDB).

De acordo com a CEF, o contrato com a construtora que executada as obras foi rescendido em razão da recuperação judicial da empresa. Desta forma, uma nova empresa está sendo avaliada pela equipe técnica do banco para a retomada das obras do residencial.

Leia também:  Clássicos da literatura em cena na Escola Gisélio da Nobrega

“A Caixa está trabalhando em cima das propostas para que tenhamos assim uma posição objetiva do prazo que o residencial ficará pronto. Assim com responsabilidade, possamos colocar um prazo em cima da obra e não se crie expectativas ” disse o representante.

Renner representante da Caixa Economica.Foto:Varlei Cordova/AGORAMT
Renner representante da Caixa Economica.Foto:Varlei Cordova/AGORAMT

O residencial que contará com 470 moradias deveria ter sido finalizado em abril de 2014, contudo, em setembro do ano passado, a CEF informou que a construtora havia deixado as obras e que uma nova empresa assumiria o empreendimento, após a realização dos tramites legais, e que o prazo para início das obras seria em outubro de 2015.

Além de sofrer com o atraso nas obras, os possíveis moradores contam que as casas estão sendo depredadas antes de serem concluídas. “Nossas casas estão tudo se acabando, não estão tomando conta, precisa ver a situação. Quantas famílias que precisam e estão pagando aluguel enquanto aguardam essas casas serem entregues, ” disse a representante, Leozany Fernandes.

Leia também:  Pátio reconhece problema, mas nega fechamento da Coder

A autônoma Danielle Teixeira, 20 anos, disse que desde 2013 aguarda ser beneficiada com uma casa do programa Minha Casa, Minha Vida, ela paga R$ 400 de aluguel por mês.

“Tem cinco anos que eu fiz o cadastro e fui pré-alocada em 2013, o dinheiro do aluguel poderia ser usado em outras coisas. Contudo, ainda não há previsão da entrega dessas moradias, no residencial ainda não tem asfalto, não tem esgoto, já furtaram objetos das casas, hoje o mato está tomando conta das casas, ” contou a moradora.

O secretário municipal de habitação, Roberto Carlos Correa de Carvalho, informou que as empresas averiguaram qual custo terá a retomada da obra e neste período a Caixa está analisando qual construtora irá seguir com os trabalhos. “As empresas precisaram olhar item por item minuciosamente para qual o valor da conclusão da obra. Agora, a Caixa analisa se o custo estipulado pelas empresas é justo, ” disse Carvalho.

Leia também:  Autora de livros reúne técnicas e dinâmicas em palestra na cidade
Reuniao dos Moradores do Bairro Neuma de Moraes com a Caixa Economica na Camara Municipal.Foto:Varlei Cordova/AGORAMT
Famílias pedem conclusão das obras do residencial Dona Neuma – .Foto:Varlei Cordova/AGORAMT

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.