Reprodução
Reprodução

Enquanto no Brasil a licença paternidade é de apenas 5 dias, na Suécia o país está incentivando o pais a ficarem pelo menos 90 dias em casa cuidando dos filhos.

Sim, a partir de 1º de janeiro deste ano a cota compulsória para homens foi aumentada para 3 meses.

Mas isso não é de hoje. Nos anos 1970 a Suécia começou a incentivar pais a tirarem tempo para ficar com recém-nascidos.

A ideia era que casais recebessem seis meses de licença por criança, divididos igualmente entre pai e mãe.

Homens, porém, tinham a opção de transferir dias para as mulheres – algo que a maioria fez.

Nos anos 90 quase 90% dos dias de licença ainda eram usados por mulheres.

Leia também:  Porto Rico solicita com urgência ajuda dos EUA após furacão Maria

Em 1995, o governo criou o que se pode chamar de uma “cota para papais”, alocando 30 dias compulsórios e que seriam perdidos caso não fossem usados. Sete anos mais tarde, o período foi estendido para 60 dias.

Em 2014 homens já eram responsáveis por 25% dos dias disponíveis para casais.

Divulgação
Divulgação
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.