Redação, emendas, votação, retirada do projeto. Mais uma vez, o assunto Plano de Cargos, carreira e salários (PCCS) dos servidores que já se arrasta há anos virou polêmica na Câmara Municipal de Rondonópolis. Desta vez, quando se pensava que estava tudo certo um documento pedindo vistas vindo da Prefeitura chegou a Casa de Leis.

A votação não estava marcada para hoje (10), mas no documento pedindo a retirada a explicação é que as emendas, que foram impostas, iriam prejudicar financeiramente o município. De acordo com o vereador Ibrahim Zaher (PSD), líder do prefeito na Casa, há duas semanas o prefeito está preocupado com a quantidade de emendas que irão atrapalhar o financeiro “Muitas emendas que estão no projeto agora já tinham sido discutidas e os servidores sabiam que não iam ter” afirmou ele.

Leia também:  Senado retira exigência de placa vermelha para Uber

De acordo com o presidente, Lourisvaldo Manoel, o Fulô (PMDB), o pedido de retirada do projeto não tem legitimidade, já que foi feito pelo coordenador do departamento jurídico da Prefeitura, que segundo ele, não tem autoridade para isso. “Nem o prefeito pode retirar mais o projeto” afirmou ele.

O projeto deverá ser colocado em pauta para 1ª votação na próxima quarta-feira (17).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.