Foto: Intenet
Foto: Intenet

É uma diversidade que deixa a gente até perdido. Seja na farmácia, seja no supermercado, temos à disposição um mundo de modelos, cores, tamanhos, preços, tecnologias e slogans. Mas não vá escolher pela aparência, pela promoção ou, ainda, pelo binômio “bonito e barato”.

Para conseguir uma limpeza bucal digna de comercial de TV e não deixar a escova prestar um desserviço aos dentes, algumas características precisam ser consideradas. Confira:

1. Formato da cabeça

Quanto mais delicada for a escova, melhor. Uma cabeça muito grande dificulta a limpeza da região posterior da boca, principalmente os dentes do fundão. Opte pelas versões menores e ovaladas.

2. Limpador de língua

Ainda não há consenso se esse extra é efetivo. Com ou sem, o importante é limpar a língua — mesmo que seja com as cerdas. E aqui você pode aplicar um pouco mais de força para varrer os restos de comida.

Leia também:  Como reconhecer os 7 sintomas de esgotamento nervoso

3. Maciez das cerdas

Como é comum pesar a mão na escovação, os acessórios com cerdas duras e médias são contraindicados — já que aumentam o risco de desgaste do esmalte e a retração da gengiva. Prefira as versões macias ou extramacias.

4. Número de cerdas

Elas são agrupadas em tufos, distribuídos por três ou quatro fileiras na cabeça da escova. Embora não haja recomendações formais, os dentistas dizem que um maior número de cerdas é vantajoso à limpeza dos dentes.

5. Tipo de cabo

Para garantir maior segurança na escovação, dê prioridade aos modelos com cabo emborrachado e design mais liso. Ranhuras propiciam o acúmulo de sujeira — uma festa para fungos e bactérias.

Leia também:  Está trabalhando demais? Cuidado, seu coração pode pifar
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.