Foto: Gazeta Digital
Foto: Gazeta Digital

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO) composto pelo Ministério Público, Polícia Civil e Polícia Militar, deflagrou nesta segunda-feira (1º), a ‘Operação Seven’ que tem o intuito de desmantelar uma organização criminosa composta por particulares e servidores públicos que desviaram R$ 7 milhões dos cofres do Estado de Mato Grosso, no final do ano de 2014.

Diversos mandados de prisões preventivas, conduções coercitivas e buscas e apreensões estão sendo cumpridos. Entre os presos, estão o ex-presidente do Intermat, Afonso Dalberto e o coronel da PM José de Jesus Nunes (ex-secretário adjunto da antiga SAD).  Outros mandados estão sendo cumpridos.

Segundo o Ministério Público, a operação decorreu de uma investigação iniciada há cinco meses. O esquema iniciou com pedido simplório de uma lauda, solicitando que o Estado de Mato Grosso realizasse a aquisição de uma área de terra rural, para ser acrescida ao Parque Estadual Águas do Cuiabá.

Leia também:  Após roubo em comércio, homem ameaça repetir ato se proprietária chamasse a polícia

O processo tramitou por vários órgãos públicos estaduais (SEMA, antiga SAD, Casa Civil e INTERMAT) onde passou pela análise “técnica” de vários agentes públicos, para que, ao final, fosse realizado o indevido pagamento dessa área. Entretanto, restou provado que essa área já pertencia ao Estado de Mato Grosso, ou seja, a mesma área foi paga duas vezes.

Afonso, ex-presidente do Intermat, passou a integrar a equipe do Governo em 2003, na gestão do Blairo Maggi.  Mais tarde, foi remanejado à presidência do Intermat e ficou a frente do cargo, mesmo após a saíde de Blairo Maggi.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.