Foto: Reprodução/ TV Morena
Foto: Reprodução/ TV Morena

Uma mulher grávida de 8 meses morreu na quinta-feira (4) durante o parto de emergência feito por médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), na casa dela em Campo Grande. Rosângela Alves da Cunha tinha 35 anos morreu antes do nascimento da filha Deise. Ela passou mal no dia anterior e procurou atendimento médico em um posto de saúde.

Depois de ser liberada, a gestante voltou para casa mesmo passando mal. Horas depois, a família chamou o Samu e os médicos fizeram um parto cesariana de emergência. A mãe morreu durante o atendimento, mas a bebê foi salva pelos médicos. Ela foi encaminhada para a maternidade Cândido Mariano e, segundo a família, o estado de saúde dela é estável.

Leia também:  Caixa d'água desaba sobre escola, mata duas crianças e deixa 20 feridas em SE

Durante a madrugada, familiares e amigos velaram o corpo de Rosangela. Segundo a família, Rosangela estava na segunda gravidez de alto risco porque tinha sífilis e pressão alta. Mas, segundo parentes, o que teria provocado a morte dela é a falta de atendimento na UPA, onde ela chegou com fortes dores na noite de quarta-feira (2).

A irmã de Rosangela, que preferiu não se identificar, conta que a família apresentou um encaminhamento à UPA. O documento médico daria o direito à transferência pra qualquer hospital. O que não teria acontecido.

Segundo a irmã, Rosangela foi embora pra casa mesmo se sentindo mal e, durante a madrugada de quinta-feira, passou por uma cesariana em casa. A família registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Pronto de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro.

Leia também:  Sisu 2018: inscrições começam no dia 29 de janeiro
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.