Bruna Ellen: Foto Reprodução
Bruna Ellen: Foto Reprodução

O Brasil terá, em breve, mais uma competidora em um dos maiores eventos de MMA da atualidade. A jovem Bruna Ellen, de apenas 19 anos, é a nova contratada do Bellator para lutar no peso palha e desponta como uma das maiores promessas do esporte.

Bruna começou sua carreira aos 12 anos, quando começou a treinar kung fu. No entanto, foram os treinos de Sanda, viés da arte marcial mais direcionado para o combate, que encantaram a paulista.

“Meu professor falou que eu levava jeito, disse para eu competir, que eu tinha força nos golpes. No primeiro campeonato eu já adorei, e então ele me colocou em todos que tinham. Nisso virei atleta da seleção brasileira de Sanda, ganhei o torneio Sul-Americano da categoria em 2013, fui quinto lugar no Mundial e não parei mais”, disse Bruna em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

Leia também:  Academia é destaque em competição em Minas Gerais

A transição para o MMA acabou sendo o passo seguinte. Natural de Campinas, interior de São Paulo, Bruna aproveitou a inauguração de uma sede da academia Team Nogueira em sua cidade para conhecer melhor a modalidade. Após o primeiro treino, sabia que este seria o seu futuro.

Bruna Ellen: Foto Reprodução
Bruna Ellen: Foto Reprodução

“Eu vi que o MMA feminino estava crescendo, as mulheres já estavam bem e eu quis aprender mais. No primeiro treino, o mestre viu que eu levava jeito e gostava de porrada. Ele me colocou para treinar com os meninos, eu saía na mão com os homens, trocava porrada mesmo, não estava nem aí. Foi então que virei da equipe e comecei a treinar duro”, revelou Bruna.

Bruna não se importa em ser a “musa do MMA”, mas quer ser lembrada por suas atuações
Assim como seu bom desempenho dentro dos ringues despertou atenção dos fãs de MMA, outro detalhe surpreende quem conhece Bruna: sua beleza, que já lhe rendeu o rótulo de “musa brasileira do MMA”. No entanto, nenhum fã tentou ser “engraçadinho” com a atleta.

Leia também:  Alto Araguaia será representada por quatro tenistas na Copa das Federações em MG

“Por enquanto são mais elogios, não teve nada demais. Nunca teve nada desrespeitoso, então é bem tranquilo, levo bem na esportiva. Nunca nada fugiu do limite, então está tranquilo”, relatou Bruna.

Bruna aceita o rótulo que acabou surgindo naturalmente, mas ressalta que prefere ser lembrada por suas atuações dentro do octógono em vez de ser vista como apenas uma atleta bonita em uma importante organização.

“Eu acho bem legal, por questão de mídia e tal, porque a mulher tem que ser feminina, não é porque luta que é masculina. Eu acho legal, mas o mais importante é chegar lá dentro e fazer seu trabalho, sair na porrada e mostrar que não tem essa de bonitinha não, tem que mostrar trabalho lá dentro, que é o mais importante”, salientou Bruna.

Leia também:  Brasil dá show em Cuiabá e avança no Grand Prix

E, se tem algo que tem sido bem feito, é o trabalho como lutadora. Em seus dois combates como lutadora profissional, Bruna venceu o primeiro na decisão dos juízes. Já o segundo terminou com um nocaute técnico da atleta após diversas cotoveladas aplicadas da montada. Com isso, a brasileira assinou com o Bellator por quatro lutas e já tem até uma possível data para estrear.

“O contrato foi firmado por quatro lutas. Depois disso, vai depender de alguns fatores para ver se renova ou não. A expectativa é que eu lute em abril, mas não tem nada fechado, nada certo ainda. Estamos esperando algum retorno, mas já estamos treinando para lutar’, concluiu a atleta.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.