Em uma pesquisa realizada na Escócia, 8 participantes foram submetidos ao desafio de cortar do cardápio qualquer alimento com mais de 1% de gordura durante uma semana.

O desafio já começou na hora de fazer as compras, já que pouquíssimos alimentos contém um teor tão baixo de gordura. Iogurtes sem gordura, leite desnatado, flocos de milho, balinhas de gelatina, poucos tipos de peixes, lentilhas, feijões e outras leguminosas eram alguns dos itens liberados na lista do supermercado.
Durante a semana do experimento, as reclamações entre os voluntários aumentaram: “Durmo e acordo com fome”, “Meu intestino não funciona há dias”, “Estou muito mal humorado”.

Ao final da experiência, os participantes declararam que sentiram fome durante o processo, além de inchaço, prisão de ventre e falta de energia. Testes ainda revelaram que a falta de gordura causou o aumento do cansaço e falta de atenção em todos.

Leia também:  Em uma década, a taxa de obesidade aumentou 60% entre os brasileiros

As gorduras, apesar da má fama, têm uma importância vital no funcionamento do corpo, já que é uma das três fontes básicas de nutrientes e ela que faz a manutenção do calor corporal e mantém a produção de hormônios femininos e masculinos. Ela só precisa ser de forma moderada e provenientes dos alimentos certos – as do tipo insaturadas. Para não ter dúvida na hora incluir no seu cardápio, veja uma lista das cinco melhores opções.

oleo de coco1. Óleo de coco

Muita gente acredita que o óleo de coco não é uma boa opção por conta da péssima reputação da gordura saturada. Esse gordura, quando é de origem animal, realmente não é recomendável. Mas a gordura saturada presente no óleo de coco é usada como energia e não prejudica a saúde. E ainda: alguns estudos científicos dizem que o consumo do óleo melhora o funcionamento da glândula tireoide e, com isso, estimula o metabolismo e auxilia na queima de gordura.

Leia também:  Compare acerola e pitanga

2. Oleaginosas

Uma pesquisa, realizada em 2009, sugere que o consumo de um punhado de qualquer tipo (como nozes e castanha-do-pará) três vezes por semana, reduz o risco de ganho de peso e obesidade. Além de ajudar a reduzir as medidas, as oleaginosas têm gorduras do bem, proteínas e nutrientes.

abacate3. Abacate

A frutra ajuda a emagrecer, reduz o cortisol (hormônio do estresse, que engorda), desacelera o processo de envelhecimento, melhora o sistema imunológico e também reduz a probabilidade de doenças cardíacas e acidentes vasculares cerebrais.

4. Sementes

Elas também podem (e devem!) ser incluídas na nossa dieta. As mais indicadas são as de chia, de abóbora, de linhaça e de girassol, que são extremamente ricas em nutrientes, fibras, magnésio, cobre e mais. Dica extra: as sementes ainda ajudam no processo digestivo!

Leia também:  Azeite só faz bem na salada?

Foto: Reprodução / Internet5. Azeite

O azeite de oliva é surpreendentemente saudável! Ele ajuda na redução da pressão arterial e ganho de peso, no controle da diabetes e na prevenção do câncer.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.