O pai da adolescente de 15 anos, que é suspeito de assassinar Lucas Ferreira, 21 anos, alegou a Polícia Civil nessa terça-feira (24) em Brasnorte (MT), legítima defesa e relatou ainda que filha ficou grávida após ser estuprado pelo garoto assassinado. O caso ainda está sendo investigado.

O produtor rural disse à polícia que a adolescente não tinha nenhum relacionamento amoroso com a vítima, e ainda informou que ela foi a uma festa, sem o consentimento dos pais e acabou sendo dopada, quando acordou sentiu suas partes íntimas doloridas, após algumas semanas, a garota percebeu que estava grávida, portanto resolveu contar aos pais sobre o estrupo.

Os pais da garota ainda registraram um Boletim de Ocorrência (BO), mas as investigações sobre o caso não foram adiante.

Leia também:  Após chutar policial, suspeito de furto a residência é preso

Segundo o pai, Lucas após descobrir que a garota estava grávida queria assumir o filho, e no dia do homicídio, o rapaz foi a fazenda junto a um amigo para sequestrar a garota, já grávida de sete meses, porém o pai pediu para ele largar a garota, como ele não obedeceu, ele deu um tiro de alerta para cima, depois houve uma discussão entre os dois e o produtor rural pegou um pau e bateu três vezes na cabeça de Lucas. O outro rapaz fugiu e o pai levou a sua filha para casa.

A Polícia Civil disse que a versão contada pelo pai é verídica, amigos da garota que estavam na festa relataram o abuso, mas o caso ainda está sendo investigado.

Leia também:  Carga de embalagens cai de carreta ao passar pela ponte

Após o depoimento o produtor rural foi liberado e o delegado que está cuidando do caso informou que o crime se encaixa em homicídio privilegiado, quando a pessoa age por motivo de relevante valor social ou moral, sob forte emoção ou desespero, logo em seguida à injusta provocação da vítima

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.