Zilene Leal da Silva em reuniao com os investigadores .Foto: Varlei Cordova/AGORA MT
Zilene Leal da Silva em reuniao com os investigadores .Foto: Varlei Cordova/AGORA MT

Os policiais civis de Rondonópolis (MT) se reuniram na 1ª Delegacia de Polícia (1ªDP) junto a presidente da subsede de Rondonópolis do Sindicato dos Investigadores da Polícia Judiciária Civil do Estado de Mato Grosso (Siagespoc), Zilene Leal, na manhã dessa quinta-feira (18). Para tomar uma posição em relação ao não cumprimento do reajuste salarial dos policiais que vem se prorrogando desde 2014 pelo Governo.

Os investigadores relataram que eles ainda não querem optar por uma greve, querem buscar outras alternativas para que seja realizado o reajuste salarial de 11,98%, que de acordo com eles é um impasse que vem desde 2014.

Zilene Leal da Silva .Foto: Varlei Cordova/AGORA MTO reajuste era para ser realizado em outubro de 2015 segundo a Lei 565/2015.  “O Governo pediu um adiantamento para fevereiro e nós aceitamos, porém agora eles querem adiar para março e isso nós não aceitamos”, relatou Zilene.

Leia também:  Acidente com integrantes de grupo de dança deixa mais de 30 feridos na BR-364

Na reunião ficou decidido que primeiro eles irão fazer um indicativo de greve, depois vão fazer com que se cumpra a lei e se caso nada se resolva vão fazer um dia de paralisação. Posteriormente se o Governo não se posicionar a favor das reivindicações eles irão entrar em greve.

Todas as reivindicações da categoria irão ser apresentadas nessa sexta-feira (19) em reunião com representantes de todas as regiões de Mato Grosso que ocorrerá na Capital, onde decidirão marcar uma Assembleia Geral para buscar soluções e se necessário entrar em greve geral.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.