O autor de um homicídio bárbaro, foi preso pela Polícia Judiciária Civil, menos de 24 horas após o crime, na quarta-feira (09), no município de Nova Canaã do Norte. A ação está inserida na operação “Carga Máxima” deflagrada pela Secretaria de Segurança Pública, em todo Estado de Mato Grosso. O suspeito, Francisco Argenero de Araújo, 50, anos, foi autuado em flagrante por homicídio duplamente qualificado.

O crime aconteceu na madrugada de quarta-feira (09.03), no Distrito Ouro Branco, a 50 quilômetros de Nova Canaã do Norte. O corpo da vítima, Wesley Alves, foi encontrado no início da manhã degolado por golpes de faca.

Imediatamente, os policiais civis iniciaram diligências e descobriram que na noite do crime, Wesley estava na companhia de Francisco consumindo bebidas alcoólicas, em uma construção abandonada, que funcionava como residência do suspeito.

Leia também:  Três são presos por crimes de roubo e receptação em Rondonópolis

Conforme investigação, há cerca de 20 dias, o acusado teve uma desavença com a vítima, e na ocasião Wesley teria agredido fisicamente Francisco. Na ocasião, o suspeito “jurou a vítima de morte” e armou uma emboscada cumprir o prometido.

O suspeito foi localizado com a faca de ferro utilizada no crime e conduzido à Delegacia de Polícia, onde foi interrogado pelo delegado Ruy Guilherme Peral da Silva. Em depoimento, o suspeito afirmou que havia ameaçado a vítima, mas que tinham se reconciliado.

Testemunhas disseram a Polícia Civil, que Francisco era uma pessoa perigosa e temida pelos moradores do Distrito Ouro Branco. Ele já tem passagem criminal por um homicídio praticado no Estado de São Paulo, agindo do mesmo modo. Na ocasião, a vítima foi morta depois com 13 facadas e também foi degolada.

Leia também:  Comércio é invadido e suspeitos fogem com aproximadamente R$ 25 mil

“Após autuar o acusado por homicídio duplamente qualificado, a Polícia Civil representou pela conversão do flagrante em prisão preventiva como forma de se garantir a ordem pública, a instrução criminal e a aplicação da lei processual visto que o suspeito não possui residência fixa e nem ocupação lícita”, destacou o delegado Ruy Guilherme.

Participaram da ação os policiais civis Juscelino Albano Corrêa, Kleber Lauro Vani de Oliveira, e Stephanie de Souza Silva.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.