Foto: Nino Andres
A mania de tirar os pelos causa danos ao maior órgão do corpo, a pele – Foto: Nino Andres

Não é de hoje que um visual lisinho virou ideal de beleza. A história nos conta que povos antigos, como os egípcios e os gregos, já se preocupavam em remover os pelos corporais, utilizando materiais inusitados, a exemplo de conchas e pedras. Mas, apesar de ser um velho costume, depilar-se nunca foi tão popular e democrático entre homens e mulheres como no século 21. É por isso que – acredite ou não – tem até cientista se voltando para essa prática a fim de entender como ela interfere no nosso bem-estar.

Foi o que fizeram pesquisadores de Nice, na França, que relacionaram o aumento dos casos de uma infecção viral da pele ao hábito de remover os pelos da região genital. Os estudiosos analisaram 30 pessoas de ambos os sexos contaminadas por um tipo de vírus, apelidado de molusco contagioso. Eles notaram que quase todas haviam tirado de vez os pelos pubianos.

O trabalho endossa uma das maiores preocupações dos médicos em relação à retirada dessa defesa natural do organismo. “A área fica desprotegida, aumentando o risco de várias infecções genitais”, afirma Felisbela Soares de Holanda, ginecologista da Universidade Federal de São Paulo. Isso se aplica principalmente às mulheres, que têm maior área de mucosa na região íntima e, assim, são mais propensas a contaminações.

Leia também:  O revés das dietas sem glúten

“Nos homens, os pelos só recobrem a pele, o que diminui a probabilidade de contágio”, compara Felisbela.

Mas os rapazes não estão de fora das discussões entre especialistas. Só que, entre eles, o assunto é mais em cima. Um trabalho da Universidade de Southern Queensland, na Austrália, concluiu que a barba funcionaria como filtro solar, protegeria contra alergias e o tempo frio. Portanto, retirar os pelos do rosto todos os dias talvez deixe a pele muito sensível.

“Ela ficaria sujeita a inflamações”, concorda a dermatologista Denise Steiner da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Deixando de lado as preferências estéticas, independentemente do local, qual seria a função de tantos fios, das pernas ao rosto? No mapa do corpo que começa à direita, veja o que dizem os médicos e conheça os métodos de depilação mais indicados.

Precauções antes de depilar
Há situações em que a mania de tirar os pelos causa danos ao maior órgão do corpo, a pele. Seja qual for o método, sempre olhe se não há machucados, irritações ou contaminações – aí, depilar só vai piorar as coisas. No caso do laser, evite o sol até dois meses antes do tratamento, já que a luz vai incidir sobre o bronzeado e poderá queimar a pele.

Leia também:  Comer quando você deveria estar dormindo engorda ainda mais!

Pra que servem os pelos (e como tirá-los)

  • Sobrancelha
    Os pelos dessa área protegem os olhos ao servirem de barreira contra elementos estranhos, como o suor. Na hora da depilação, aposte na precisão da pinça.
  • Buço
    Esses pelinhos indesejáveis são resquícios evolutivos dos nossos antepassados. Por perderem sua função, não há problema em retirá-los.
  • Axilas
    Apesar de esses fios não estarem aí à toa, eles não costumam ser bem-vindos pelas mulheres, que os removem com cera ou lâmina. Mas, assim como na barba, esses métodos podem causar inflamações.
  • Faixinha
    É a trilha de pelos que vai do umbigo ao começo da virilha. Eles não exercem funções específicas. Eliminá-los, então, não traz nenhum tipo de complicação. Por ser uma área pequena, pode ser depilada com cera. Se os fios forem grossos e escuros, o laser também é indicado.
  • Íntima
    Mulheres não hesitam em raspar, arrancar com cera ou eliminar para sempre os pelos dessa região. Ocorre que, ao estimular a produção de sebo ali, eles ajudam a formar uma película protetora da vagina. Vale tomar cuidado porque a cera e a lâmina podem criar microfissuras na pele, que, na ausência daquela barreira, tem aí uma porta de entrada para agentes infecciosos. Por isso, o laser seria o método mais seguro. Como os fios deixam de crescer, cai o risco de lesões e contaminações.
Leia também:  Quando a mente sofre, o AVC fica à espreita

Pernas
Embora sejam muito usadas, a cera e a lâmina podem causar inflamações e tornar os fios mais grossos. Se tiver esse problema, o laser é uma saída.

Depois da depilação

No caso da cera, aguarde de 3 a 4 horas para tomar banho e remova os resíduos com a ajuda de um óleo. Mas há cuidados que valem para todos os métodos, como hidratar a pele e usar produtos com camomila ou Áloe vera a fim de prevenir irritações.

Flacidez é mito! O puxão da cera pode até ser dolorido, mas não danifica o tecido. E a lâmina? Ela corta só a parte externa do fio. Lembre-se de nunca usar materiais enferrujados, que, ao ferir a pele, podem gerar infecções.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.