Reprodução
Reprodução

O diretor do jornal venezuelano “Correo del Caroní”, David Natera, foi condenado a quatro anos de prisão por difamação e injúria pela publicação de reportagens que revelaram um suposto caso de corrupção na indústria estatal de ferro.

“O Sexto Tribunal Penal de Julgamento do estado de Bolívar emitiu uma sentença contra o diretor do Correo del Caroní, David Natera Febres, por causa da cobertura informativa realizada pelo jornal em 2013 sobre o caso de corrupção na CVG Ferrominera Orinoco”, indicou o jornal nesta sexta-feira (11).

O veículo, que tem sede em Ciudad Guayana (estado de Bolívar, sul), publicou entre maio e setembro de 2013 uma série de reportagens sobre uma investigação judicial por crimes de peculato, abuso de confiança agravado, extorsão e formação de quadrilha envolvendo vários empresários ligados a companhia.

Leia também:  Séries de ataques deixaram dezenas de pessoas mortas no Pasquitão

A condenação por crimes de “difamação e calúnia” se soma a uma multa e à proibição ao jornal de publicar notícias sobre um dos empresários listados, que entrou com uma ação em 2013.

Natera permanecerá em liberdade durante o processo de recurso. No entanto, não poderá deixar o país e deverá se apresentar à justiça a cada 30 dias.

“Condenaram o Correo del Caroní por exercer a sua independência editorial e contribuir para a transparência”, escreveu Oscar Murillo, editor-chefe do jornal, em sua conta no Twitter.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.