O senador mato-grossense José Medeiros assinou na noite desta terça-feira (22.03) a ficha de filiação ao Partido Social Democrático (PSD). Durante o ato, o senador reafirmou sua posição de oposicionista ao governo da presidente Dilma Rousseff. “Meu único compromisso é com o povo brasileiro e com os irmãos mato-grossenses. Sou um servidor público e sirvo ao cidadão do meu País. Isso não muda!”, afirmou.

José Medeiros também reafirmou que continua sendo favorável ao processo de impeachment da presidente Dilma que tramita na Câmara dos Deputados. “Estou acompanhando todos os desdobramentos do processo e reafirmo o que sempre disse desde que cheguei ao Senado da República: Dilma não reúne mais as condições de ser presidente do Brasil. Pesam sobre elas requisitos mais que suficientes para que seja impedida de presidir o País”, destacou.

Leia também:  Pesquisa aponta Governo Abdo com mais de 80% de aprovação

Ainda no dia de ontem, o senador apresentou na Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJ), requerimento de convocação dos ministros Jacques Wagner, do Gabinete Pessoal da Presidente da República, e Nelson Barbosa, da Fazenda, para prestar esclarecimentos a respeito das conversas telefônicas protagonizadas por eles e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Para José Medeiros, as conversas tratam de assuntos de “alta sensibilidade” institucional. “Elas compõem um dado fático tão objetivo quanto suficiente para que o Senado Federal tenha a oportunidade de indagar aos excelentíssimos senhores ministros sobre o contexto e os desdobramentos dos eventos revelados. Portanto, é nesse sentido, do mais aberto diálogo institucional entre os Poderes Legislativo e Executivo, que pedimos essa convocação”, afirmou o senador.

Leia também:  Após cirurgia na próstata Temer recebe alta e diz "Por aqui foi tudo bem"
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.