Desempregado há quase um ano, o paranaense M.S.A, 52 anos, compareceu ao lançamento do projeto “Formar para Socializar”, realizado nesta quarta-feira (16) no município de Sorriso, e está confiante que o curso de Eletricista Industrial, para o qual se inscreveu, possibilitará novas oportunidades no mercado de trabalho. Assim como ele, centenas de pessoas, entre jovens e adultos, apostam na qualificação para se manter ou conseguir um novo emprego.

Os cursos de formação inicial e continuada foram viabilizados por meio do projeto “Formar para Socializar”. A iniciativa é resultado de uma parceria entre o Ministério Público do Estado de Mato Grosso, Poder Judiciário, Senai e Município de Sorriso. Ao todo foram disponibilizadas 710 vagas e o prazo para inscrições termina na próxima quinta-feira (31). Os interessados devem procurar as Promotorias de Justiça de Sorriso, das 8h às 18h.

De acordo com o promotor de Justiça Márcio Florestan Berestinas, o público-alvo do projeto “Formar para Socializar” é composto por pessoas em situação de vulnerabilidade social, como egressos do sistema prisional, adolescentes infratores, entre outros. Das 710 vagas abertas, 360 são para os menores de 18 anos. Haverá, também, vagas destinadas às pessoas com deficiência.

“Essa iniciativa nasceu da necessidade de proporcionarmos às pessoas em situação de vulnerabilidade oportunidades para que possam ingressar no mercado de trabalho. Os cursos foram escolhidos de maneira criteriosa, levando em consideração os índices de empregabilidade e a demanda por mão de obras em áreas específicas”, observou.

Segundo ele, o “Formar para Socializar” vai além da qualificação. A proposta também prevê o monitoramento dos egressos e o acompanhamento do núcleo familiar. “Em um segundo momento, realizaremos um trabalho de sensibilização junto aos empresários da cidade para contratação dos alunos que concluíram o curso com êxito. O Cras e Creas também farão o acompanhamento do núcleo familiar para o atendimento das necessidades verificadas”, adiantou.

Para garantir que as vagas sejam ofertadas para quem realmente precisa, o Ministério Público promoveu triagem nos processos criminais e nos relativos a atos infracionais. “Dessa triagem, elaboramos uma lista com vários nomes e entramos em contato com cada uma dessas pessoas para que viessem realizar a inscrição”, informou a coordenadora das Promotorias de Justiça de Sorriso e titular da 2ª Promotoria de Justiça Criminal, Maisa Fidelis Gonçalves Pyrâmides.

O procurador-geral de Justiça, Paulo Roberto Jorge do Prado, enalteceu a importância do projeto. “Esta iniciativa é uma demonstração de que acreditamos nas pessoas que estão à margem da sociedade. Apostamos na possibilidade de o ser humano se reerguer e voltar para sociedade de forma produtiva”, destacou.

A previsão, segundo os coordenadores do projeto, é de que as aulas comecem na primeira semana de abril. Os cursos oferecidos são: Informática Teen, Eletricista Industrial, Aplicador de Revestimento, Eletricista Instalador Predial de Baixa Tensão, Mecânico de Motocicleta, Mestre de Obras, Op. de Empilhadeira, Montador de Painéis Elétricos, Pedreiro, Pintor de Obras, Soldador, Aplicador de Gesso, Op. Industrial de Alimentos, Op. De Máquinas Pesadas – Escavadeira Hidráulicas.

LANÇAMENTO: Durante a solenidade, a diretora regional do Senai, Lélia Brum, ressaltou a importância da parceria com o Ministério Público. “Estamos entusiasmados. Já ofertamos cursos de educação profissional há muito tempo, mas é a primeira vez que firmamos parceria com o Ministério Público. A junção de esforços contribuirá para o desenvolvimento pessoal e profissional desses alunos”, disse.

“Vejo o Ministério Público como um parceiro e tenho certeza que esse projeto será um sucesso. Sorriso será um exemplo não só na produção de grãos, mas por ofertar qualidade de vida às pessoas”, acrescentou o prefeito municipal, Dilceu Rossato.

Advertisements
Leia também:  Sorriso | Suspeito de matar travesti com uma chave de fenda é preso

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.