Foto: assessoria PJC
Foto: assessoria PJC

A ação da Polícia Judiciária Civil na operação da Secretaria de Estado de Segurança Pública, Carga Máxima, terminou com 408 pessoas presas em Mato Grosso. A operação que iniciou na sexta-feira (04.03) e finalizou no sábado (05) cumpriu 354 ordens judiciais, sendo 123 criminosos foragidos da Justiça por crimes violentos como homicídios, latrocínio, roubos à mão armada e estupros.

A operação que empregou 3.300 policiais civis, incluindo servidores do administrativo da Diretoria Geral, das unidades, da Corregedoria Geral e alunos do curso de formação da Academia de Polícia, que acompanharam as buscas e blitzes de trânsito. Cães farejadores do Canil Integrado de Cáceres também reforçaram as buscas por drogas na região de fronteira.

De acordo com o secretário de Estado de Segurança Pública, Fábio Galindo Silvestre, a operação trabalhou em todas as frentes da criminalidade. “Sabemos que tem crimes diretos, mas também há crimes indiretos que estão intimamente ligados como o desmanche, o tráfico drogas, receptação. São todos crimes bases que interferem no conceito de violência. Agradecemos ao Ministério Público e ao Poder Judiciário pela expedição de ordens judiciais, pois polícia não se faz sozinha. Registramos nossos agradecimentos a todos os magistrados que sensíveis à necessidade da Polícia em avançar no enfrentamento à criminalidade. Ainda agradecemos a todos os policiais civis que vestiram a camisa e foram para rua”, declarou Galindo.

No interior foram presas 324 pessoas e na região metropolitana 84, totalizando 408 presos, em flagrante e cumprimento de ordem de prisão. Nas delegacias de polícia foram lavrados 267 autos de prisão em flagrante (APF) para formalização da prisão de 285 conduzidos nos mais diversos crimes como o tráfico de drogas, posse irregular de armas de fogo e munições, violência contra a mulher, crimes ambientais (fauna e flora), receptação, uso de documentos falsos, contrabando e descaminho, embriaguez ao volante, homicídio, entre outros delitos.

Leia também:  Após discussão homem coloca fogo na casa e se tranca no quarto com a filha de 3 anos

Cerca de 300 produtos foram apreendidos, entre eles 103 botijões de gás irregular e explosivos. As apreensões contabilizam ainda 110 veículos, incluindo sete carretas com madeira irregular (sendo cinco apreendidas na região metropolitana pela Delegacia do Meio Ambiente e duas em General Carneiro (442 km a Leste); R$ 60 mil em espécie; 92 armas de fogo, 3.434 munições, 45,5 quilos de entorpecentes e animais silvestres com pássaros, cobras e tatu.

O delegado geral da PJC, Adriano Peralta Moraes, disse que muitas delegacias desenvolveram ações ainda no sábado e no domingo. “O saldo foi extremamente positivo e podemos incrementar essa mesma operação em outras ocasiões”, afirmou Peralta.

Operação que começou às 6 horas da manhã de sexta-feira, com o cumprimento de várias ordens judiciais, se estendeu à noite com barreiras de trânsito, fiscalização de bares, lanchonetes e vários locais pontos de suspeita de prostituições e comércio de drogas. Em Rondonópolis (215 km ao Sul), seis conveniências e bares foram vistoriados e todos foram fechados, pois nenhum tinha alvará de autorização da Prefeitura para funcionamento. Na cidade foram cumpridos 24 mandados de busca e duas prisões.

Leia também:  Dois jovens são mortos a tiro em estrada vicinal no MT

Em Vila Rica (1.259 a Noroeste), a Polícia Civil recuperou R$ 31 mil, dinheiro furtado de uma residência. O acusado Juliano Anchesqui, 32, foi flagrado com o dinheiro furtado dentro de uma bolsa. No momento da abordagem, ele estava com um revólver calibre 38 na cintura e foi autuado em flagrante também pelo porte ilegal de arma de fogo.

Em Canarana (823 km a Leste) dois homens foram presos flagrante na manhã de domingo (06.03) por homicídio. Os suspeitos, Marco Antonio Pereira, 19, e Jhony da Silva Oliveira, 21, são apontados como autores do crime bárbaro, que aconteceu na madrugada de sábado (05.03). A vítima Pedro Nonato da Silva, 55, foi morta a golpes de faca, pauladas e pedradas. O caso chocou os moradores de Canarana pelo fato da vítima ser uma pessoa simples e querida por todos da região.

Em Cuiabá, quatro criminosos de alta periculosidade com mandados de prisão em aberto foram presos pela Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores (Derrfva), durante a operação da Polícia Civil na Carga Máxima. Um deles tem 17 passagens por diversos crimes.

O suspeito, Lorival de Souza, foi preso em flagrante por receptação de um Gol preto adulterado e tinha mandado de prisão por tráfico de drogas. Procurado desde de setembro de 2015, Jair Ribeiro Filho, conhecido por “Magrão”, foi preso por receptação, adulteração de sinais identificadores e falsificação de documento público, e alienação de uma caminhonete Amarok roubada e vendida a índios da etnia Enawenê de Juína. O suspeito ostenta 17 registros criminais, incluindo condenações.

Leia também:  Com mandado de prisão suspeito acusado de arrombar casa e estuprar mulher é preso em MT

Rafael Sanches Lima, 19, e Diego Willian Gottard Bkuk, 29, tiveram mandados de prisão preventiva cumpridos pelo latrocínio do advogado, José Vieira da Silva Filho, ocorrido no dia 5 de dezembro de 2015. O corpo dele foi encontrado embaixo da ponte do Rio Coxipó, em Cuiabá. Diego Willian, estava preso desde o dia 15 de janeiro de 2016, e teve a prisão temporária (30 dias) convertida em preventiva.

Operação carga máxima vistoriou vários veiculos Foto: Ronaldo Teixeira/AGORAMT
Operação carga máxima vistoriou vários veículos Foto: Ronaldo Teixeira/AGORAMT

Trânsito

Blitzes e barreiras de trânsito ocorreram em várias cidades na noite de sexta-feira e sábado. Somente na capital foram 965 veículos abordados. Sete pessoas foram presas em flagrante por conduzir veículo sob efeito de álcool e droga. Dentre eles o motorista que atropelou três mulheres em um ponto de ônibus, na Avenida General Mello, na manhã de domingo (06), que foi preso em flagrante por homicídio culposo, duas lesões corporais e embriaguez ao volante. No acidente, Jane Maria Alves, 49, foi a óbito no Pronto-Socorro Municipal depois de ser socorrida. Testemunhas do acidente estão sendo ouvidas na Delegacia de Trânsito na manhã desta segunda-feira (07).

O condutor Douglas Rafael Bueno, 28 anos, não teve fiança aplicada no plantão de Cuiabá e será apresentado em audiência de custódia hoje.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.