A Polícia Federal deflagrou nessa quinta-feira (17) a Operação Provérbios 17:23, com o objetivo de desbaratar esquema criminoso que burlava as leis ambientais para permitir sucessivas e reiteradas agressões ao meio ambiente. Calcula-se que tais ações criminosas tenham gerado um prejuízo de mais de R$ 65 milhões.

Policiais federais deram cumprimento a oito mandados de busca e apreensão e a seis mandados de condução coercitiva, nas cidades de Cuiabá (MT), Barra do Garças (MT) e Brasília (DF).

As investigações tiveram início em 2013, a partir do recebimento de denúncias do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O grupo criminoso vinha praticando desembargos irregulares e sem fundamento de áreas embargadas, o cancelamento de autuações e até a assinatura de termos de ajustamento de conduta sem a devida justificativa técnica e ambiental.

Leia também:  Acusado de matar ex-mulher é preso em Poconé

O esquema era realizado por meio de cooptação de servidores de autarquias, os quais são suspeitos de terem recebido propina e outros benefícios indevidos para permitirem o cometimento de diversos crimes, dentre eles, falsidade ideológica, prevaricação, advocacia administrativa, inserção de dados falsos em base de dados oficiais e formação de quadrilha.

*O nome da operação é uma referência à passagem bíblica que diz: “O ímpio aceita às escondidas o suborno para desviar o curso da justiça”.

Balanço da Operação

Cuiabá/MT: 01 mandado de busca e apreensão / 01 mandado de condução coercitiva

Barra do Garças/MT: 05 mandados de busca e apreensão / 04 de condução coercitiva

Brasília/DF: 02 mandados de busca e apreensão / 01 condução coercitiva

Leia também:  Fazendeiro é assassinado a tiros ao ajudar motorista e suspeito foge

Informamos que todos os mandados já foram cumpridos.Itens apreendidos: documentos e mídias.

Cinco funcionários do Ibama e um advogado são suspeitos de envolvimento no esquema.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.