Foi publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (03), a expulsão dos policiais Ricardo Duarte Neves, 38 anos, e Genival Ferreira de Souza, 34 anos, acusados de participação ao roubo de uma distribuidora de bebida em Rondonópolis em 2011. Na ocasião, um terceiro policial que também estaria envolvido, Franklin foi encontrado morto com um tiro na cabeça.

A quadrilha rendeu funcionários, os ameaçou e os agrediu. Durante a ação, eles foram surpreendidos com a chegada dos vigilantes e desistiram do roubo. Ao tentar sair do local, ainda trocaram tiros com os vigilantes.

A transgressão disciplinar militar é classificada de natureza grave, ferindo o artigo 19 do Regulamento Disciplinar da Polícia Militar.

Leia também:  Mato Grosso | Número de roubos é 28% menor do que em 2016

EM 2011

Um dia após o crime, o soldado Ricardo Duarte Neves, 33, da Polícia Militar, acusado de participação na tentativa de roubo contra a distribuidora de bebidas Coca-Cola em Rondonópolis se apresentou no Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc).

Ele estava foragido desde a madrugada, data do crime. O soldado PM Genival Ferreira de Souza, 29, preso em flagrante no interior da empresa, já havia declarado à Polícia que Duarte havia participado do crime.

O soldado Franklin foi morto com um tiro na cabeça, o corpo dele foi encontrado próximo à Base Comunitária da Vila Operária. A Polícia suspeita que o corpo tenha sido desovado no local.

Duarte, a exemplo dos soldados Franklin e Ferreira, estava na corporação há 7 anos; todos eles se formaram na mesma turma. Na data do crime o militar, que deveria estar de serviço, alegou ter um compromisso particular e trocou a escala com outro PM. Duarte estava de atestado médico, deveria retornar às atividades no próximo dia 28 e o soldado PM Ferreira estava de folga.

Leia também:  Criminosos fazem três assaltos seguidos e são presos no Jardim Adriana

Na manhã de domingo, o proprietário da caminhonete Ranger foi ao Cisc prestar queixa de furto do veículo, fato que, segundo ele, havia ocorrido na noite anterior, o veículo estava estacionado em frente à casa dele.

Porém, diante da investigação inicial, ele entrou em contradição por várias vezes e acabou revelando que havia emprestado o veículo para o soldado Duarte, há uma semana. O fato foi confirmado pelo soldado Ferreira, segundo o comando da PM.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.