Em Santa Carmem, município distante a 500 km de Cuiabá, o Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 3ª Promotoria de Justiça Cível de Sinop, firmou termo de ajustamento de conduta com a pessoa jurídica ‘Supermercado Santana’ para que não comercialize produtos de origem animal oriundos de abates clandestinos.

Reprodução
Reprodução

Na medida extrajudicial, o promotor de Justiça Pompílio Paulo Azevedo Silva Neto estabeleceu ao empresário a suspensão das atividades no abatedouro do “Zé Santana”, localizado na estrada Sara, zona rural do município, até que as condições sanitárias e ambientais necessárias, bem como outras autorizações sejam devidamente legalizados. O empresário se comprometeu ainda a não adquirir, para comercialização, produtos de qualquer outro local que não obedeça as normas sanitárias e ambientais.

Leia também:  Possíveis desastres naturais serão enviado via SMS para população de Mato Grosso

O TAC prevê ainda a recuperação da área degradada alvo da destinação final inadequada dos animais mortos, e demais resíduos decorrentes do abate, até então realizado no abatedouro ‘Zé Santana’. Os trabalhos deverão ser realizados de acordo com orientações técnicas dos órgãos de controle: Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso.

Até o dia 17 deste mês, o proprietário entregará ao Parque Florestal de Sinop, 1500 mudas de árvores de espécies nativas em sacos plásticos, com pelo menos 40 cm de altura. A doação das mudas deverá ser comprovada em até 15 dias após o prazo estipulado.

O termo de compromisso prevê multa de R$ 5 mil em caso de descumprimento parcial ou total de quaisquer condições elencadas nas cláusulas, que será revertida ao Fundo Ambiental do Município de Sinop (Famus).

Leia também:  Detran-MT aguarda orientação para implantar a CNH digital no estado
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.