Caminhoneiros reunidos
Caminhoneiros reunidos em frente ao terminal da ALL- Foto: Ricardo AGORA MT

Após 24h de protesto, o terminal ferroviário da América Latina Logística (ALL) de Rondonópolis (MT) foi liberado pelos caminhoneiros na noite dessa quarta-feira (02). Os motoristas aceitaram o acordo da empresa, que se comprometeu através de um acordo judicial realizar melhorias no terminal.

A reunião entre o Ministério Público Federal, Ministério do Trabalho, Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Rondonópolis e Região, Sindicato dos Trabalhadores em Empresas dos Transportes Terrestres de Rondonópolis e Região, representantes da ALL e líderes do protesto dos caminhoneiros, iniciou por volta do meio dia de hoje (02) e somente às 19h depois que todos entraram em consenso em relação as reivindicações um acordo judicial foi firmado.

Leia também:  Prefeitura lança obra de recuperação do asfalto na área central de Rondonópolis

No acordo foi decidido que  o pátio externo seja interditado e a empresa tem cinco dias para providenciar outro local, melhorar o abastecimento de água em até 30 dias, no pátio terá que ser realizado o tapa buracos em 60 dias, depois a empresa terá que em nove meses realizar a pavimentação asfáltica, manutenção constantes nos banheiros, voltará ao sistema antigo de agendamento, entrega dos comprovantes de chegada e descarga, entrega do complexo de atendimento com capacidade para 500 caminhões até dia 31 de dezembro de 2016, cobrança do pagamento das diárias aos interessados, informação visual do pesos do caminhão carregado e descarregado.

As exigências não aceitas pela empresa foram a manutenção de 100% da capacidade dos tombadores, aumentar a capacidade de armazenamento de grãos em 50% em seis meses e a instalação de no mínimo três tombadores.

Leia também:  MT | Pela 2° vez, empresa ambiental sofre suspensão e fica afastada por 2 anos

Caso a empresa não cumpra o acordo ela irá ser multada em R$ 10 mil por mês por cada cláusula descumprida. Será realizado fiscalizações a qualquer dia pelo Ministério Público e Ministério do Trabalho. Entretanto, qualquer pessoa pode denunciar o descumprimento do acordo.

Durante o protesto uma fila de cinco quilômetros de carretas foi formada, que agora com a liberação do terminal poderão começar a realizar o descarregamento.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), que também compareceu à reunião se comprometeu em coordenar o tráfego de caminhões de nove eixos durante 24h após o término da reunião.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.