Foto: Arquivo / AGORA MT
Rodovia BR-364/163 em Rondonópolis – Foto: Arquivo / AGORA MT

As melhorias para a travessia urbana na BR-163 em Rondonópolis voltou a ser tema de discurso na tribuna na tarde desta quarta-feira (09). O vereador Thiago Muniz (PPS) usou a tribuna da Casa de Leis durante a 148ª Sessão Ordinária para criticar a morosidade nas obras que serão realizadas pela Concessionária Rota do Oeste e cobrar uma atitude das autoridades políticas.

De acordo com o parlamentar em agosto de 2015 em uma reunião realizada em Brasília, com o presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) foi firmado o compromisso que a concessionária executaria as obras para dar mais mobilidade aos moradores principalmente da região Salmen.

Ainda na reunião, foi mencionada a necessidade da construção de viadutos, passarelas, e de passagens subterrâneas para os pedestres. As melhorias na travessia na BR-163 inclui, segundo o vereador, os trechos entre o Trevão e o Posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Leia também:  Temer comete "gafe" se referindo ao país de Paraguai por Portugal na frente de presidente paraguaio

“Sempre temos notícia que um rondonopolitano morre na rodovia, morre motociclista, ciclista, pedestre nessa travessia, na passagem de um lado para o outro. Precisamos urgente que a Rota do Oeste realize essa obras, já que o dinheiro usado para a execução não será verba federal e sim, da tarifa paga no pedágio,” disse o vereador.

Ainda conforme o vereador as melhorias na travessia urbana já deveriam ter sido concluídas. Em sua fala, o vereador cobrou uma atitude dos representantes da concessionária e das autoridades políticas.

Rota do Oeste

De acordo com a assessoria de imprensa da Concessionária Rota do Oeste, a empresa iniciou esta semana o trabalho de recuperação do trecho compreendido entre o km 125 e km 130 da BR-163, transferido oficialmente para a empresa em 15 de fevereiro, como pode ser visto na foto abaixo.

Leia também:  Pátio deve chamar Celson para ser interlocutor com a Câmara

“Este segmento estava sob responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e só agora passa a compor o escopo da Concessionária.  No demais trechos da travessia urbana, a Rota do Oeste mantém equipes para a conservação do pavimento e de sinalização, uma vez que o trecho já é duplicado. Vale ressaltar que a Concessionária possui prazo contratual de 24 meses para realizar as intervenções previstas e, dentro desta janela de tempo, é livre para definir o cronograma de investimentos,” informou em nota.

Foto: Assessoria
Foto: Assessoria
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.