Foto: Ameer Alhalbi / AFP
Foto: Ameer Alhalbi / AFP

O bombardeio de origem desconhecida ocorrido matou pelo menos 27 pessoas em Aleppo, no Norte da Síria, na noite de quarta-feira (27). Entre os mortos estão três crianças e três médicos, de acordo com informações divulgadas pela rede americana CNN na manhã desta quinta-feira (28).

A emissora “Al Jazeera” e a ONU atribuíram o ataque contra o hospital de Al Quds às forças governamentais. Um primeiro balanço tinha apontado 16 mortes. Entre os mortos está “um dos últimos pediatras” que havia na região, o doutor Wasem Maaz, acrescentou a “Al Jazeera”, segundo a agência Efe.

As equipes de resgate trabalham para retirar os corpos e resgatar os sobreviventes que estão sob os escombros do edifício e o número de mortos ainda pode aumentar, acrescentou a emissora com sede no Catar.

Leia também:  Criança autista é agredida a caminho da escola e tem madeira pregada na cabeça
Foto: Karam Al-Masri / AFP
Foto: Karam Al-Masri / AFP

O mediador da ONU citou esse caso para pedir a Rússia e Estados Unidos que unam seus esforços para dar novo vigor à trégua na Síria e salvá-la “do colapso total”.

“Faço um pedido a Rússia e EUA para que tomem uma iniciativa urgente para relançar a trégua, que, por enquanto, está em perigo”, disse Staddan após informar por teleconferência ao Conselho de Segurança da ONU sobre o resultado da terceira rodada de negociações de paz que terminou na quarta.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.