Foto: Juirana Nobres/G1
Foto: Juirana Nobres/G1

Uma universitária, de 28 anos, sofreu uma tentativa de estupro dentro da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), em Vitória, por volta de 19h30 desta segunda-feira (18).
A estudante de cinema, que prefere não ter o nome divulgado, disse ao G1 que ainda tenta se recuperar do trauma que sofreu.

“Era um homem novo, aparência de 20 anos. Ele me agarrou e me arrastou, estava muito escuro. Eu mantive a calma e tentei conversar com ele. Enquanto me segurava forte pelo braços, me falava coisas horríveis, nojentas, que não quero nem lembrar. Ele tentou me levar para as árvores, onde é ainda mais escuro. No começo eu pensei que fosse um assalto, mas depois ele falou que queria me violentar mesmo, que era para eu ir com ele, que ele ia fazer várias coisas. Comecei a ficar nervosa”, disse emocionada a jovem.

Leia também:  Bandidos gravam primos cavando covas antes de serem mortos
Foto: Divulgação/Ufes
Foto: Divulgação/Ufes

A universitária é de Vila Velha e já é formada em artes e atualmente cursa cinema. “A Ufes deveria ser um lugar seguro, pelo menos assim é que todos pensam, mas não é a nossa realidade. A Ufes está terrível, escura e abandonada”, disse.

A jovem disse que chegou ao local por volta de 19h30 para aula. Ela contou que estava um pouco atrasada e por isso caminhava com rapidez.

A estudante passou pela passarela que liga a Ufes ao prédio Multimeios, conhecido como Bob.
“Estava apressada, quando vi o homem de mochila, sentando em alguma coisa, próximo a uma guarita, que sempre está vazia. Ele fez um sinal como se algo tivesse caído da minha bolsa ou come se quisesse saber as horas. Eu parei para entender o que me dizia, quando ele me agarrou e me arrastou para fora da passarela. Estava muito escuro, mal consegui ver o rosto. Aquele momento durou uma eternidade. A todo momento eu tentava me desvencilhar, mas não conseguia. Mantive a calma, consegui ganhar um pouco de tempo. Ele me segurou com força, mas tentei conversar, não sei como consegui. Ele ficou meio surpreso por eu não ter me apavorado”, relatou a jovem.

Leia também:  Atriz Solange Couto pede ajuda nas redes sociais para localizar carro roubado
Foto: Luiz Felipe Guerra/ G1
Foto: Luiz Felipe Guerra/ G1

 

A universitária disse que a área estava meio deserta, quando percebeu que um estudante se aproximava de bicicleta.
“Eu tentei manter a calma para tentar gritar mais alto quando a bicicleta passasse, e assim conseguir correr e gritar. Não sei como eu consegui. Em pouco tempo várias pessoas se juntaram para saber o que estava acontecendo. Nem o rapaz da bicicleta entendeu o que eu passei. Também não tenho certeza se ele parou. Fiquei muito nervosa”, disse.

A jovem foi levada a coordenação do curso e em seguida policiais militares estiveram no local e a orientaram a procurar a delegacia nesta terça-feira.
“Os seguranças disseram à coordenadora do meu curso que as câmeras podem ter gravado tudo. Sei que esta não é a primeira vez que acontece coisas assim na Ufes. Já colocaram espelho nas janelas dos banheiros para olharem as meninas, outras mulheres já foram vítimas de outros abusos e nada é feito para impedir isso. Vários pontos são escuros demais e dão medo”, reclamou.

Leia também:  PMs tem atitude heroica ao salvar pessoas presas ás ferragens em carro em chamas

A escrivã da Polícia Civil da Delegacia de Goiabeiras Bruna Mendes de Andrade disse que vai solicitar à Ufes as imagens de videomonitoramento desta segunda-feira para ajudar nas investigações.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.