O mundo do MMA convulsionou mais uma vez na última terça-feira, agora com uma notícia que absolutamente ninguém conseguiu prever. Não era nem mesmo um pequeníssimo rumor. Primeiro, Conor McGregor disse que estava se aposentando. Quase ninguém levou a sério de cara. Mas poucas horas depois, Dana White anunciou que o irlandês estava fora do histórico UFC 200.

A explicação oficial dada pelo presidente do Ultimate é que o irlandês se recusou a viajar da Islândia para Las Vegas nesta semana, onde faria os eventos de divulgação de sua revanche contra Nate Diaz. Mas há bem mais coisa por trás de uma simples recusa. Mais que isso, é difícil de acreditar que um lutador tão fechado com a franquia, a galinha dos ovos de ouro, o queridinho, tenha – do nada – refugado um compromisso dessa maneira.

Todo mundo sabe que nos últimos anos Conor fazia o que queria no UFC. Era simples: ele trazia muito dinheiro e cumpria tudo que falava. Foi enfileirando vitórias e conquistou o cinturão. Até que veio a derrota para Nate Diaz em março. Mesmo com o revés, o irlandês não recuou, quis manter sua posição e sua pose.

Leia também:  Atleta rondonopolitana é ouro no salto em altura

Nos últimos tempos, começou a querer botar banca para cima de todo mundo no Ultimate. Queria inclusive decidir onde seriam os eventos de imprensa, nesta semana e na semana da luta. Chegou até mesmo a pedir um salário exorbitante e sem precedentes para esse combate – valor declarado, não só o dinheiro que eles recebem por fora, de venda de pay-per-view, por exemplo. Gente graúda de dentro da empresa teve de intervir nestes arroubos do campeão dos penas.

Sua não ida para os EUA foi apenas a cereja do bolo de tanta confusão. Já dava para saber que algo daria errado quando ele postou, apenas dois dias antes, que estava indo para a Islândia para treinar com amigos. Vamos combinar que o traslado entre Reykjavík e Las Vegas não é exatamente dos mais simples ou próximo. A tragédia que acometeria esse card tão especial já estava desenhada há algum tempo nos bastidores.

Leia também:  Federação realiza arbitral após desistências em série

Agora, duas questões ainda pairam no ar.

1) De onde surgiu esse surto recente de McGregor? Uma hipótese bem forte é que ele forçou esse afastamento do UFC depois de ter sido testemunha ocular da primeira morte decorrente de uma luta profissional de MMA. Ele estava ao lado do ringue quando seu amigo e colega de treino Charlie Ward venceu João ‘Rafeiro’ Carvalho, que acabou morrendo 48 horas depois da luta. O irlandês escreveu uma emocionada carta sobre o lutador português.

2) Ele está realmente aposentado? A resposta de Dana White para essa pergunta foi simples: “Apenas ele pode saber se parou ou não”. Neste momento, é difícil vislumbrar um retorno rápido para ele. Esse tipo de furo não é algo que o UFC perdoe com facilidade e eles finalmente deixaram claro que o evento está acima de qualquer lutador, inclusive do queridinho McGregor. Agora é ver se a franquia vai superar essa crise com o campeão ou se ele será convencido a voltar.

Leia também:  1º Campeonato de Futebol Amador é suspenso temporariamente

Neste momento, aguardamos as cenas dos próximos capítulos, que são: Quem será o novo rival de Nate Diaz no UFC 200 e se a luta José Aldo x Frankie Edgar 2 deixará de ser uma disputa de cinturão interino e passará a valer o título linear, caso o irlandês se aposente oficialmente.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.