Reprodução
Reprodução

Cuiabá inaugura esta semana a nova ala pediátrica do Pronto Socorro Municipal da Capital. Para o Ministério Público, o espaço é uma semente para a implantação do futuro Hospital da Criança de Mato Grosso. Depois de terem atuado junto ao Município para garantir o cumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta que estabeleceu a reforma da ala pediátrica, os promotores de Justiça José Antônio Borges Pereira e Luciano André Viruel Martinez, adiantam que o trabalho, de agora em diante, será voltado para a manutenção dos equipamentos disponibilizados. Os promotores de Justiça também pretendem assegurar que, após a inauguração do novo Pronto Socorro de Cuiabá, prevista para 2017, a atual unidade seja transformada em hospital da criança.

Leia também:  Detran-MT aguarda orientação para implantar a CNH digital no estado

“A ideia é que o atual Pronto Socorro vire Hospital da Criança de Mato Grosso. Também foi criado um Comitê de Gestão, com a participação da Universidade Federal de Mato Grosso, para acompanhar e assegurar a manutenção da nova ala pediátrica. Sabemos que a rotatividade na referida unidade de saúde é grande e existe uma tendência muito forte para deterioração dos equipamentos”, ressaltou o promotor de Justiça.

Com 1.089 metros quadrados, a nova ala pediátrica do Pronto Socorro de Cuiabá terá 40 leitos, sendo 10 deles destinados a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e desses, dois ao isolamento. No setor de semi UTI serão cinco leitos e, na enfermaria, 25. A unidade terá também brinquedoteca, área para atividades culturais das crianças, lactário e local de convivência para os pais. Todos os ambientes seguem os padrões de hospitais infantis que são referências no país, como, por exemplo, o Hospital Infantil Pequeno Príncipe, que é o maior hospital exclusivamente pediátrico do Brasil e localiza-se em Curitiba.

Leia também:  Municípios têm até dia 31 para providenciar documentação exigida pela Receita Federal

ATUAÇÃO: Há mais de 10 anos, o Ministério Público do Estado de Mato Grosso cobra o adequado funcionamento da ala pediátrica do Pronto Socorro Municipal de Cuiabá. A demanda, inclusive, foi apresentada ao Judiciário por meio de ação civil pública.

Segundo o promotor de Justiça José Antônio Borges Pereira, o terceiro andar da unidade, que sempre foi destinado para o atendimento infantil, nunca atendeu as exigências estabelecidas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). A situação, no entanto, se agravou, ainda mais, com a desativação total do setor.

“Atualmente, a área infantil não tem UTI, não possui atendimento específico e as crianças estão misturadas com os adultos. Acreditamos que com a nova ala pediátrica, o Município não apenas vai atender ao que está preconizado no ECA, como também vai economizar, pois deixará de pagar UTIs em hospitais particulares por força de decisões judiciais”, afirmou.

Leia também:  Chuva deixa mais de 45 mil sem energia elétrica em Rondonópolis
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.