Foto: Assessoria/Polícia Civil de MT
Foto: Assessoria/Polícia Civil de MT

Uma quadrilha que roubava maquinários e trocava por droga na Bolívia é alvo de uma operação da Polícia Civil nesta quinta-feira (14). De acordo com a Polícia Civil, a organização criminosa atuava em Mato Grosso, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás e Pernambuco. A operação, dividida em duas, deve cumprir 36 mandados de prisão de integrantes da quadrilha. Até o final da manhã 24 pessoas foram presas, sendo que 7 já estavam presas em cadeias. Entre os presos está um vereador de Araputanga, a 371 km da capital.

Segundo a Polícia Civil, a primeira operação, batizada de ‘Poeira Branca’, deve cumprir 19 mandados de prisão preventiva contra a quadrilha que trazia maquinários agrícolas, como tratores roubados ou furtados de São Paulo. O grupo trocava os veículos por drogas na Bolívia e na fronteira de Mato Grosso.

Leia também:  Mato Grosso lança projeto de PPP em tempo recorde

A operação cumpre três mandados de prisão nos municípios paulistas São José do Ribeirão Preto, Catanduva e Marapoama; 1 mandado em Mato Grosso do Sul; e os demais em Mato Grosso nas cidades de Rondonópolis (1), São José dos Quatro Marcos (3), Diamantino (1), Jangada (1), Cáceres (2), Araputanga (3), Glória D’ Oeste (1), Porto Esperidião (2) e Mirassol D’ Oeste (1).

As investigações começaram há 10 meses. Durante os trabalhos, três máquinas agrícolas do tipo retroescavadeiras foram apreendidas. As máquinas vieram de São Paulo e foram entregues a compradores em municípios da fronteira de Mato Grosso com a Bolívia em troca de droga.

Foto: Assessoria/Polícia Civil de MT
Foto: Assessoria/Polícia Civil de MT

Uma máquina roubada no ano de 2014, na cidade de Hortolândia (SP), foi encontrada em maio de 2015 em uma propriedade rural no município de Indiavaí, a 398 km de Cuiabá. Outras duas foram apreendidas em Araputanga.
Os maquinários estão avaliados em R$ 150 mil e eram negociados por valores médios de R$ 30 mil, convertidos em tabletes de pasta base de cocaína. Também nessa investigação, os policiais descobriram que um assassinato ocorrido em 27 de julho de 2015 estava relacionado ao tráfico de drogas promovido pela compra das máquinas. A vítima, identificado como Luciano Balbino, foi morta a tiros em uma estrada vicinal, próximo ao município de Indiavaí. Ele tinha comprado a retroescavadeira apreendida em Indiavaí e não teria pago a quadrilha, que mandou executá-lo.

Leia também:  Mais de 12 mil motoristas ficaram parados na BR-163 por falta de combustível
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.