A Secretaria de Estado de Segurança Pública, por meio das polícias Civil, Militar e Politec, deflagrou na manhã desta terça-feira (26) uma operação integrada para desarticular organização criminosa suspeita de envolvimento em vários crimes de homicídio por encomenda. A operação “Mercenários” cumpriu até o momento 17 mandados de prisão e de busca e apreensão em Cuiabá e Várzea Grande.

Entre os presos estão seis policiais militares, seis vigilantes, dois informantes, dois homens identificados como mandantes e um apontado como intermediário entre o grupo e os contratantes. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal da Justiça de Várzea Grande.

Com os suspeitos foram apreendidas armas (espingardas calibre 12, pistolas 9 milímetros, revólveres) e munição, além balaclavas, coletes balísticos, placas de veículos, luvas, roupas camufladas e uniformes da PM.

Leia também:  Após colisão frontal de carretas, caminhoneiro morre e veículo pega fogo na BR-364

As investigações são conduzidas desde o final de 2015 por uma força-tarefa constituída pela Sesp para apurar casos de homicídio com características semelhantes e considerados de “alta complexidade”.

O trabalho, chefiado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), revelou que o grupo preso nesta manhã está vinculado a pelo menos cinco casos de homicídio ocorridos entre os dias 3 de março e 13 de abril em Cuiabá e Várzea Grande. A motivação, segundo as investigações, era meramente financeira e as vítimas não estavam necessariamente vinculadas a crimes.

Entre os casos investigados por possível ligação com o grupo, está um triplo homicídio ocorrido há duas semanas no bairro Cristo Rei e o assassinato a tiros de um empresário no centro de Várzea Grande, no início de abril.

Leia também:  Operação Conectados é realizada em Paranatinga e quatro são presos

Coletiva de imprensa

Mais informações sobre a operação Mercenários serão repassadas em coletiva de imprensa que será realizada às 14h, na Sesp, com a presença de representantes de todas as forças da Segurança Pública.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.