É a primeira vez que eu me deparo com uma situação dessas”, disse o delegado de polícia Alberto Teixeira sobre a prisão de cinco senhoras na noite de quinta-feira (28), em Belém. A quadrilha foi pega em flagrante tentando furtar objetos pessoais de passageiros dentro de um ônibus. Juntas, sendo que todas têm passagem pela polícia por diversos crimes e duas delas estavam com mandado de prisão decretado pela Justiça.

Foto: Reprodução/TV Liberal
Foto: Reprodução/TV Liberal

Uma das vítimas que teve os pertences roubados pela quadrilha conta que está surpreso com a situação. Para ele, o grupo de senhoras se aproveita da idade avançada para cometer o delito.
“Assim que eu ia descer, uma delas passou por trás de mim e simplesmente fez um tumulto na porta. Enquanto isso, a outra veio, puxou as coisas. Não dá pra suspeitar, inclusive no dia, uma delas tava com uma Bíblia embaixo do braço”, relata o rapaz, que prefere não ser identificado.

Leia também:  Médico Roger Abdelmassih condenado a 181 anos por estupro de pacientes volta para presídio

E ele não foi a única vítima da quadrilha, que foi presa ao tentar roubar vários passageiros dentro de um ônibus da linha Icoaraci-Centenário. De acordo com a polícia, no momento em que o ônibus passava pela avenida Centenário, uma passageira percebeu que estava sendo furtada e na mesma hora as cinco começaram a fazer um tumulto dentro do veículo.

A vítima não se intimidou e conseguiu avisar uma viatura da Polícia Militar que passava na rua no momento da confusão. Os policiais conduziram o caso para a Seccional da Sacramenta, em Belém.
Confissão

Na delegacia, Maria de Lurdes, de 57 anos, confessou o crime. “Tá difícil arrumar um emprego, eu sou cadeia velha, não é a primeira vez. Todo mundo me conhece, pra que mentir? Tudo quanto é polícia me conhece, sabem onde eu moro e tudo, falo a verdade”, alega Lurdes.
Rindo, ela conta ainda como a quadrilha age. “Aqui ninguém usa arma, só a mão mesmo. Se arrependimento matasse eu já estaria morta! Melhor eu fazer graça do que chorar”, diz Lurdes, debocha junto com as amigas presas.
O delegado afirma que as cinco senhoras, com idades entre 54 e 61 anos, vão responder por furto qualificado e associação criminosa. “Nos meus vinte e poucos anos de polícia é a primeira vez que eu me deparo com uma situação dessas.

Leia também:  Ministério da Saúde comemora por não constar desde junho novos casos da febre amarela
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.