Eduardo Nogueirol - Foto : Varlei Cordova / AGORA MT
Eduardo Nogueirol – Foto : Varlei Cordova / AGORA MT

Em coletiva de imprensa o presidente do Sindicato dos Médicos de Rondonópolis (MT), Eduardo Nogueirol, informou nessa terça-feira (19) que os 80 médicos da Santa Casa de Misericórdia e Maternidade de Rondonópolis estão de greve e por isso apenas os serviços de urgência e emergência estarão funcionando no hospital.

Eduardo ainda relatou que os médicos só irão retornar os serviços após receberem no mínimo os meses atrasados de janeiro e fevereiro.

A dívida do município e do estado com a Santa Casa já soma cerca de R$ 3,7 milhões. Segundo o presidente do Sindicato, o município já informou que irá repassar os R$ 900 mil que possuem em atraso com o hospital, “o dinheiro que o município irá passar essa semana não é suficiente para pagar nem o salário dos médicos no mês de janeiro. Precisa de um repasse do Governo também”, informou.

Leia também:  Campanha para atualização da caderneta de vacinação começa hoje em Rondonópolis

Segundo Eduardo, o hospital pagou o mês de dezembro aos médicos com recursos próprios e agora a instituição está sem recurso para os insumos, “O hospital está à beira de um colapso, sem condições de repor os insumos, estão sem antibióticos, recursos para alimentação, limpeza entre outras coisas que são necessárias para atender os pacientes”, ressaltou o presidente.

O hospital atende 60 pacientes por dia somente da obstetrícia, sem contar os outros, a orientação da Santa Casa e do Sindicato é que as pessoas procurem primeiro o Pronto Atendimento do município ou o posto de saúde, “só irá receber casos de emergência, se uma pessoa chegar aqui e o caso não for de emergência ele será informado a procurar os serviços do município”, explicou.

Leia também:  Projeto para a biblioteca Manoel Severino fomenta debates sobre assuntos da atualidade

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.