Ônibus coletivo em Barra do Garças - Foto: Semana 7
Ônibus coletivo em Barra do Garças – Foto: Semana 7

A partir desta sexta-feira (8), o preço da passagem do transporte público em Barra do Garças (MT)  passa a custar R$ 3,60. A tarifa anterior era de R$ 3. O valor que foi aprovado pela Câmara Municipal na última segunda-feira (4) desagradou boa parte das pessoas que dependem do serviço.

De acordo com o vereador Odorico Ferreira Cardoso “Prof. Kiko” (PT), a Câmara Municipal recebeu um decreto do poder executivo juntamente com outros documentos, entre eles, o contrato de concessão da empresa responsável pelo transporte coletivo.

“No contrato de concessão está que a cada 12 meses deve haver o reajuste da tarifa. Segundo a concessionária, há 17 meses não ocorre essa alteração no preço da tarifa, ainda na planilha a empresa apresenta que em 2015 houve 11 reajustes de combustível, além dos custos com pneus, peças, lubrificantes, encargos trabalhistas. O aumento de 60 centavos ocorreu devido ao poder executivo ter protelado em encaminhar o decreto a Câmara Municipal,” comentou o parlamentar.

Leia também:  Mato Grosso lança projeto de PPP em tempo recorde

A estudante de Ciências de Computação, Jéssica Marinho, 25 anos que usa o transporte diariamente para ir a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) recebeu a notícia com descontentamento. Ela reclama que usa o transporte coletivo duas vezes ao dia ou até mais, com isso o aumento mensal será de 50%.

 “Eu acho um absurdo, eu uso muito o ônibus coletivo pois nem sempre posso ir no ônibus de graça da UFMT, que passa nos pontos com horário fixo e poucas vezes ao dia. Com o que vou gastar a mais com esse aumento, eu poderia arcar com outros custos, como pagar por mais de um mês o almoço no Restaurante Universitário, por exemplo,” contou a estudante.

Leia também:  Seleção para estagiários do curso de Direito no MPC-MT segue até 10 de novembro

Segundo Jéssica a situação é enfrentada por vários estudantes da UFMT, principalmente, os de bairros mais afastados e que completamente dependentes do transporte coletivo.

Com a notícias do aumento, estudantes e moradores se mobilizam para realizar um protesto no terminal da cidade, nas redes sociais, o aumento da tarifa é classificado como “abusivo”.

No ofício encaminhado a Câmara Municipal, a empresa responsável pelo transporte coletivo, Garçastur destaca que se faz necessária a revisão tarifária em decorrência dos aumentos dos preços de itens que integram a base dos custos das tarifas, como o valor do ônibus, os serviços de mecânica, os óleos lubrificantes e o reajustes salariais, a empresa ressalta que para continuar prestando um serviço de qualidade, bem como modernizar a frota.

Leia também:  TCE afirma que detentos com tornozeleira ficaram 1 ano sem monitoramento em MT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.