Com problemas na estrutura física do prédio, a Delegacia de Polícia do município de São José do Povo (MT) pode fechar as portas após quase 10 anos de edificação e inauguração. O fechamento temporário da unidade deve ocorrer na próxima semana, segundo informou o delegado da Regional, Claudinei Lopes.

Foto: Arquivo / AGORA MT
O delegado Lucídio Rondon – Foto: Arquivo / AGORA MT

De acordo com o delegado responsável pela localidade, Lucídio Rondon, o prédio onde funciona a unidade da polícia está com várias rachaduras e corre o risco até de desabar, um perigo eminente tantos para os funcionários quanto à população. “Alguns problemas estruturais surgiram, vimos que não tinha necessidade de alugar outro imóvel, visto que, a sede atual é própria. Encaminhamos o orçamento para que fosse feita a reforma, contudo, não foi aprovado,” explicou o delegado.

Leia também:  Acusado de matar homem com 25 facadas tem mandado de prisão cumprida em MT

Ele ressalta que o Conselho Superior da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso avaliou como baixo o índices de inquéritos e de termos circunstanciados de ocorrência (tcos). “Acredito que para eles, o volume e a demanda não compensa em virtude da despesa,” disse Rondon.

Segundo o delegado apesar do pouco volume de trabalho e do número de efetivo, a Polícia Civil ainda desempenha outros serviços na localidade. Além do que o número de pessoas que poderiam depender dos serviços da Polícia chegam a 14 mil, somando assentamentos e distritos, que ficam próximos a São José do Povo.

“Com uma delegacia em São José do Povo, fica bem mais perto para registrar um boletim de ocorrência, Rondonópolis está a cerca de 30 quilômetros. Se essas pessoas tanto da cidade quanto dos assentamentos precisarem de algum serviço tem um órgão mais perto. Além do que, se acaso fechar e eu ocorrer algo no município precisaremos deslocar uma equipe de Rondonópolis para lá,” explicou o delegado.

Leia também:  Com uma pistola, ladrão faz limpa em cofre de escritório e leva R$ 18 mil

O responsável pela delegacia ainda destacou o bom relacionamento entre as Polícias, Civil e Militar, na localidade, bem como, o trabalho preventivo de ambas no município. “O bom relacionamento entre a PJC e a PM, uma pode contar com a outra, principalmente devido ao número de efetivo, além do trabalho preventivo desenvolvido na localidade, o que acaba evitando possíveis ocorrências,” destacou o delegado.

A unidade conta atualmente com um escrivão, um investigador e de outros dois servidores.

A DECISÃO

O delegado da Regional Claudinei Lopes - Foto: Arquivo / AGORA MT
O delegado da Regional Claudinei Lopes – Foto: Arquivo / AGORA MT

De acordo com o delegado Claudinei Lopes, a decisão foi tomada pelo Conselho Superior da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso, após avaliar como ‘baixo’ o movimento na unidade. Conforme o delegado, ele já recebeu a documentação que determina de forma provisória o fechamento da delegacia que deverá ser cumprido na próxima semana, caso não ocorra nenhuma novidade, já que as autoridades políticas do município se reuniram com o secretário de Segurança, Rogers Elizandro Jarbas para tentar encontrar uma saída.

Leia também:  Carregadores e 24 celulares são encontrados dentro Freezer em cadeia

“Acredito que devemos providenciar o fechamento da delegacia na próxima semana, com a transferência de arquivos, viaturas, efetivo para a 1ª DP,” explicou Lopes.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.