Uma professora da Escola Municipal de Educação Básica Prof. Francisca Arruda Fernandes, no bairro Santana, em Araçatuba (SP) enviou na segunda-feira (9) um bilhete com um pedido de desculpas à mãe de uma estudante que ela havia agredido com um tapa na cabeça. Segundo o boletim de ocorrência, o caso ocorreu na sexta-feira (6) depois que a menina, de 9 anos, não teria feito de forma correta as atividades na sala de aula.

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Em entrevista ao G1 na manhã desta quarta-feira (11), a mãe da menina conta que quando leu o bilhete na agenda escolar da filha achou que fosse uma brincadeira da professora.
“A escola manda a agenda [da filha] para que eu saiba o que acontece na sala de aula, mas quando li o que estava escrito achei que fosse brincadeira e perguntei para minha filha o que de fato teria acontecido” diz a mulher, que não quis se identificar.

Leia também:  Estelionatária é presa por se passar por advogada, aliciar índios e fraudar benefícios

No bilhete enviado à mãe, a professora disse que o tapa teria doído mais no coração dela do que na cabeça da criança. “Acho que doeu mais no coração do que na cabeça o tapa, pois nunca bati em aluno. Mas, tenha certeza, não encosto mais as mãos na sua filha. Foi uma brincadeira” escreveu a professora.

Segundo a autônoma, a criança contou que a professora passou duas atividades e ela teria errado uma delas. Em seguida, ela chamou a aluna de “burra” e a agrediu. A mulher relata ainda que a professora só mandou o bilhete com o pedido de desculpas porque a menina teria contado o caso.

A mãe da menina registrou um boletim de ocorrência e disse que espera que sejam tomadas as providências em relação com a professora “Espero Justiça. Ela não pode fazer o que fez com minha filha com outras crianças, ainda mais na fase de aprendizado”, diz a mãe.

Leia também:  Resultado do Sisu do 2º semestre é divulgado pelo MEC

A prefeitura de Araçatuba informou que a professora foi afastada das aulas e que está fazendo trabalhos administrativos. Disse ainda que uma psicóloga que faz o atendimento escolar acompanhará a aluna, caso tenha necessidade. Uma investigação interna foi aberta para acompanhar o caso.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.